Pegando o motorhome em Vancouver e iniciando a rota rumo às montanhas rochosas canadenses (de Vancouver a Kamloops)

Para quem está acompanhando o roteiro completo da nossa viagem pelo Canadá e Estados Unidos de motorhome, esse post é referente ao terceiro dia de viagem. Neste dia, nós acordamos em Vancouver, no Century Plaza Hotel & Spa. Tomamos café da manhã na Breka Bakery, na Davie Street, pertinho do hotel. [Falei sobre o hotel e o café no post anterior.] Em seguida, levamos o Felipe ao pronto-socorro do hospital que ficava ao lado do nosso hotel (mas esse assunto merece um post à parte). De lá, seguimos para o hotel, fizemos check-out e partimos para Delta, uma cidade que fica na região metropolitana de Vancouver, para buscar o nosso motorhome na Cruise Canada.

Só para dar uma noção da distância, a Cruise Canada fica a mais ou menos 30 km do hotel onde estávamos, em Downtown Vancouver.

Quando chegamos à Cruise Canada, descobrimos que precisávamos ter agendado horário para fazer a retirada do motorhome. Mas o dia estava tranquilo lá e eles nos atenderam mesmo sem agendamento e quase de imediato. O atendimento lá foi frio, mas eficiente.

Cruise Canada
Fomos buscar o motorhome com a nossa mini-van alugada

Preenchemos a papelada, recebemos diversas orientações, assistimos a um vídeo que explica como funciona tudo dentro do motorhome (vídeo disponível em inglês, holandês, alemão, francês, espanhol e dinamarquês) e fomos, enfim, levados ao nosso veículo. Inclusive, quem quiser assistir ao vídeo antes no Youtube, pode assistir em casa e lá, na hora, “economizar tempo” e falar que já viu o vídeo. Nós já tínhamos assistido em casa, mas preferimos ver lá na salinha deles mais uma vez para relembrar como as coisas funcionam.

Gustavo vendo o filme da Cruise Canada

No motorhome, um funcionário fez um “tour”, explicou como tudo funciona, tirou nossas dúvidas e enfim recebemos a chave do que seria nosso carro e casa pelos próximos dias.

É bom sempre dar uma conferida em tudo no veículo antes de sair. Quando estávamos colocando as crianças nas cadeirinhas, por exemplo, fomos desmontar a mesa para o bebê conforto do Felipe encaixar no sofá e a peça metálica que segura a perna da mesa estava enferrujada. Quando puxamos a mesa para cima, veio um pedaço da peça na nossa mão. Por sorte, ainda estávamos dentro da Cruise Canada e eles fizeram rapidinho o reparo, trocando a peça enferrujada por uma novinha.

Uma coisa que descobrimos lá e que achamos super bacana sobre esse mundo dos alugueis de motorhome foi o esquema de doações de coisas que sobram da viagem. Basicamente, as pessoas que estão devolvendo o motorhome na agência costumam deixar tudo o que sobrou da viagem (detergente, papel higiênico, água, sabão em pó, comida…) para as pessoas que estão iniciando uma nova viagem. Conhecemos um casal de holandeses ali que nos presenteou com uma bacia enorme cheia de coisas e uns 15 rolos de papel higiênico em um pacotão fechado (eles calcularam muito errado a quantidade de papel higiênico que iam precisar hahahahahah). Ganhamos sal, pimenta, café, sabão líquido para roupas, detergente, um montão de coisas… Isso já ajudou a economizar bastante na nossa primeira compra lá.

E os demais viajantes, conforme vão chegando, vão deixando suas doações lá em um cantinho e quem tiver interesse, é só pegar e levar. Nós mesmos, quando voltamos da nossa viagem, deixamos um bastante de coisa de doação.

Pipo no bebê conforto
Bela no assento de elevação

Quando recebemos o motorhome, passamos toda a bagagem que estava no nosso carro alugado para o motorhome e fomos juntos, um veículo seguindo o outro até o aeroporto de Vancouver para devolver o nosso carro alugado (Sim! Estávamos com um carro alugado. Saiba mais sobre isso no post anterior).

Chegando ao aeroporto, eu fiquei no motorhome com as crianças, esperando em um posto de gasolina que fica próximo ao “Car Rental Return” do aeroporto, enquanto o Gustavo foi até a Avis para devolver o carro. Ele fez a devolução e voltou andando da Avis até o posto para encontrar conosco e seguirmos viagem. Foi tudo super tranquilo e esse “processo” não demorou mais do que 20 minutos. Para quem tem interesse em fazer um esquema semelhante, o posto onde ficamos aguardando fica neste endereço: 5111 Grant McConachie Way, Richmond, BC V7B 0A4.

De lá, fomos direto para o Walmart, para fazer umas comprinhas e abastecer a geladeira e a despensa do motorhome. O supermercado que fomos fica na 3585 Grandview Hwy, Vancouver, BC V5M 2G7. Dali, pegamos a estrada rumo a Kamloops, cidade onde pretendíamos fazer o primeiro pernoite.

Walmart em Vancouver.
Walmart em Vancouver. Quanta coisa de hockey!
Walmart em Vancouver. Quanta coisa de hockey!

No caminho, nós paramos na cidade de Hope para jantar. O lugar é uma graça, em meio às montanhas. Comemos no Olympic Flame, um restaurante grego bem gostoso. A comida estava saborosa e o atendimento foi muito caloroso e simpático com as crianças, que ganharam material para colorir e giz de cera.

Restaurante grego, em Hope
Restaurante grego, em Hope

Depois, pegamos a estrada até Kamloops, ponto que escolhemos para “quebrar” o longo percurso de Vancouver até Jasper, nas montanhas rochosas canadenses. Em Kamloops, dormimos em um ponto de descanso para caminhões e motorhomes, chamado Flying-J. Lá é tipo um posto de gasolina, com um restaurante Denny’s e um espaço de estacionamento bem grandão, pertinho da rodovia. Fizemos free-camping no estacionamento e foi tranquilíssimo. Só não foi mais tranquilo porque vez ou outra, durante a madrugada, passava um trem pelas proximidades que fazia uma barulheira e o motorhome vibrava. Parecia um terremoto. Rsrsrsrsrs. Fora isso, nos sentimos seguros e a localização, ao lado de um Denny’s e de uma loja de conveniência, foi bem prática. Vários outros motorhomes também faziam pernoite ali, ao nosso lado. O endereço desse posto é 175 Kokanee Way, Kamloops, BC.

Posto onde pernoitamos, em Kamloops
Posto onde pernoitamos, em Kamloops
Posto onde pernoitamos, em Kamloops
A bela dormindo no motorhome
Posto onde pernoitamos, em Kamloops. Nosso motorhome é o primeiro da direita.

No dia seguinte, acordamos, tomamos café da manhã no Denny’s do próprio posto e pegamos estrada rumo a Jasper.

Posto onde pernoitamos, em Kamloops
Café da manhã no Denny’s
Café da manhã no Denny’s
Café da manhã no Denny’s

Assim foi a nossa primeira noite dormida em um motorhome. Em breve, farei um post só para falar sobre o motorhome em si. O aluguel, os valores, o funcionamento da coisa toda…

Abastecendo o motorhome para pegar a estrada

___________________________________________________________________________

 

Usou alguma dica do nosso blog? Conta como foi! Gostamos muito de receber o retorno dos nossos leitores. Ficamos felizes quando sabemos que nossas dicas foram úteis nas viagens de outras famílias!

___________________________________________________________________________

Siga o Pezinho na Estrada nas redes sociais: Facebook Instagram.

___________________________________________________________________________

Já reservou o seu hotel? Nós somos parceiros do Booking. Quando você faz a sua reserva usando o nosso link, nós ganhamos uma pequena comissão que nos ajuda na manutenção do blog e você não paga nada a mais por isso.
Booking.com

 

SERHS Natal Grande Hotel: hotel pensado para a família, em Natal/RN

No comecinho de junho, o meu marido tinha um congresso em Natal e nós colamos nele para aproveitar a oportunidade e passear um pouquinho. Como vocês sabem, nós moramos em São Paulo, mas somos de João Pessoa, que fica ali pertinho de Natal. Então lá fomos eu, o marido e nossos dois filhos (o Felipe com 9 meses e a Isabela com 5 anos), convidamos a nossa família, que mora na Paraíba, para encontrar conosco lá em Natal e passarmos um fim de semana gostoso, matando um pouco a saudade.

O congresso foi no SERHS Natal Grande Hotel, que pertence ao grupo catalão SERHS. Decidimos então, que iríamos ficar lá mesmo.

Vista linda em frente ao hotel

O hotel tem uma estrutura muito boa para quem viaja em família. Achamos bem completo. O atendimento também foi muito bacana e nos surpreendeu positivamente. Check-in rápido e eficiente, com direito a água de coco e suquinho na recepção para dar as boas vindas. Precisamos trocar o quarto dos meus pais porque eles chegaram no dia seguinte e, embora eu tivesse solicitado que reservassem para eles um apartamento perto do nosso, eles acabaram ficando bem longe, por engano. Solicitamos a troca e eles foram super solícitos, resolvendo o problema. Até ofereceram um quarto superior, com antessala, dois banheiros e uma vista linda para o Morro do Careca.

Todos os apartamentos do hotel têm vista para o mar e sacada. Reservaram para a nossa família um que fica no mesmo andar da recepção e bem próximo a ela. Achamos bem conveniente para quem de desloca com carrinho. A copinha baby (que eles chamam de Baby Kitchen) também ficava naquele mesmo bloco, dois andares acima. Bastava pegar o elevador que ficava bem ao lado do quarto e já saíamos ao lado da copinha.

A copa era bem equipada com fogão, geladeira, microondas, cadeirão, utensílios de cozinha e estava sempre limpa e organizada. Para entrar lá, é necessário usar o mesmo cartão que abre a porta do quarto, pois é um serviço que só está disponível para reservas com criança. Esse espaço é uma maravilha para quem está viajando com criança que está começando com a introdução alimentar, para lavar e esterilizar mamadeiras, preparar um lanchinho…

Copa baby
Copa baby

Existe a possibilidade de pedir o serviço de preparo de comida especial para bebês (0 a 2 anos) e crianças (até 5 anos), tudo orientado por nutricionistas, de acordo com o material que eles entregam no ato do check-in.

Na viagem, eu levei as refeições do Felipe que foram previamente preparadas em casa todas separadinhas e congeladas. Coloquei em tupperwares, dentro de um cooler. Para embarcar no avião foi super tranquilo. Só falei que o que estava no cooler era comida de bebê e eles me falaram para levar como bagagem de mão, tranquilamente. Levei almoço e jantar para todos os dias, já que com 9 meses ele ainda não estava comendo nada com sal, então deveria evitar a comida do buffet do hotel e de restaurantes. Como o voo de São Paulo a Natal é curto, as coisas chegaram lá ainda congeladas, então quando entrei no quarto do hotel, só tirei do cooler e coloquei tudo no congelador do frigobar. Também levei uns lanchinhos para a minha filha mais velha e deixei tudo guardado no frigobar. Ela tem uns ataques de fome noturna e ficar pagando 8 reais em um micro-saquinho de amendoim no frigobar do hotel não estava nos meus planos.

O nosso quarto tinha duas camas tamanho queen bem confortáveis e ainda colocaram um berço para o Felipe (é sempre bom lembrar de pedir o berço no momento da reserva). Tinha uma sacada grande com duas cadeiras, uma linda vista para o mar, armários espaçosos, tv de tela plana, cofre, secador de cabelos, banheiro amplo com um ótimo chuveiro e itens de higiene pessoal.

O hotel tem cinco restaurantes, mas eles não ficam todos abertos ao mesmo tempo, então sempre consulte a recepção para saber qual será o horário de funcionamento deles durante a sua estada. O café da manhã é maravilhoso e bem completo. Muitas opções de frutas e sucos da fruta, cereais, pratos quentes e frios, tapioca, omelete e ovos feitos na hora, nas chapas. Tem serviço de quarto, bar em frente ao mar (mas não é na areia, tem que descer um lance de escadas para chegar até a praia) e bar molhado (na piscina).

Bar molhado
A Bela curtindo o bar molhado

No que diz respeito ao lazer, as piscinas são muito bacanas e ocupam toda a frente do complexo. Há piscinas com profundidades variadas interligadas por escorregadores. É bom ficar de olho nas crianças bem pequenas, pois em algumas das piscinas elas podem não alcançar o chão. Alguns lugares têm esguichos, outros têm hidromassagem, em outros um espelho d’água onde pode-se colocar espreguiçadeiras e ficar observando as crianças brincarem. Há espaços sombreados, espaços mais tranquilos para quem busca sossego, espaços para quem quer jogar bola, espaços para quem quer tomar uns drinks. E gente (agora os nordestinos que moram fora vão me entender), eles vendem sorvete da Kibon e lá tem picolé de cajá! Digo isso porque a Kibon não vende picolé de cajá no sudeste =(

Parte mais funda de uma das piscinas
Área sombreada em uma das piscinas infantis
Piscina bem rasinha para crianças
Escorregadores conectam as piscinas. Observe a hidro no meio da foto.
O Felipe e a Bela se divertem

O Kids Club é aberto diariamente das 9h às 17h e das 19h às 21h. Existe a opção inclusive de colocar as crianças para almoçarem com os monitores do Kids Club. Para isso, é necessário fazer uma inscrição com algumas horas de antecedência. Eles também oferecem lanchinho no fim da tarde e sorvete. A Isabela não é muito de ficar em clubinho (e o Felipe ainda é muito novinho). Quando viajamos, ela gosta de curtir junto conosco e nós também gostamos que eles fiquem sempre por perto. Mas teve um dos dias que ela pediu para ir para o clubinho e nós deixamos ela lá. Preenchemos um cadastro, ela recebeu uma pulseirinha e deixamos o número do telefone e os nomes das pessoas que estavam autorizadas a buscá-la. Achei que eles tinham um controle bacana e a programação era bem interessante. Ela lanchou lá. Falou que tinha suco, pãezinhos (de acordo com ela, deliciosos) e bolo.

Kids Club
Hóspedes assistindo à final da Champions League no Sports Bar

Além do clubinho fechado, que tem piscina de bolinhas, brinquedos, espaço e material para atividades de arte, os monitores também fazem atividades com as crianças nas piscinas. Há um playground que absolutamente me encantou. De madeira, charmoso e bem de frente para o mar. Uma delícia!

Playground

 

Playground
Playground

A equipe de lazer também organiza atividades para o público adulto. Hidroginástica, zumba, brincadeiras de adivinhação no café da manhã (tipo… “Quantas sementes vocês acham que tem dentro desse maracujá?” e quem mais se aproxima ganha brindes do hotel).

As programações infantil e adulta ficam disponíveis em murais ao longo do hotel e também podem ser consultadas na recepção.

O hotel conta com sala de ginástica, spa (com piscina interna e aquecida), salão de beleza, salão de jogos, sports bar (onde o pessoal estava animado, assistindo a final da Champions League no telão), cyber café com diversos computadores conectados na internet, wi-fi grátis

Salão de jogos
Quadra de vôlei de praia

Localização

O SERHS fica na Via Costeira, em frente ao parque das dunas. O mar em frente ao hotel é agitado e atrai surfistas. Não acho muito bom para crianças. Com crianças, dá para aproveitar a areia da praia e as piscinas do hotel.

A praia em frente é quase deserta. Tem segurança particular do hotel e cadeiras e ombrelones.

 

Como fica bem ao sul na Via Costeira, é bem perto de Ponta Negra, que tem uma diversidade grande de restaurantes, bares e vida noturna agitada. Se estiver sem carro, um Uber fica baratinho saindo dali.

Sobre isso, achamos que compensa sair à noite para jantar no Camarões, pois o preço é melhor e a comida é mais saborosa que a do restaurante do hotel. Aliás, o Camarões é um restaurante que quem vai a Natal precisa conhecer.

Passeios

Como já conhecemos Natal e os atrativos das proximidades, aproveitamos essa viagem para curtir o hotel e a família. Para quem quer fazer passeios, há duas opções. Dá para alugar um carro e desbravar a cidade e os pontos turísticos ou pegar passeios organizados separadamente. Na recepção do hotel a equipe pode dar dicas sobre esses assuntos.

O que posso adiantar é:

Pipa merece no mínimo um pernoite, pois é à noite que a cidade fica ainda mais legal.

Tibau do Sul é uma delícia. Já falamos sobre ela aqui e demos várias dicas.

João Pessoa e praias do litoral norte e sul da Paraíba merecem alguns dias exclusivos. E como merecem! Não faça bate-volta a João Pessoa. Você vai se cansar e não vai conhecer direito tudo o que a cidade tem a oferecer.



Booking.com


 

Castaway Cay: toda a magia e encanto da ilha da Disney nas Bahamas

Aqui está um destino sensacional e que é absolutamente exclusivo para quem faz cruzeiro pela Disney Cruise Line: Castaway Cay (pronuncia-se “key” (quí), como se fosse chave em inglês e significa ilhota/ilha).  Sim! Essa é a ilha privada da Disney nas Bahamas. Acontece que em 1997, The Walt Disney Company firmou um contrato com o governo das Bahamas e, pelo menos até 2096, podemos dizer que a ilha “pertence” à Disney. Sendo assim, só navios da Disney têm permissão para ancorar lá.

Localização de Castaway Cay, nas Bahamas

Castaway Cay parece uma ilha dos sonhos. Cada detalhe, cada cantinho, cada atrativo foi cuidadosamente planejado e preparado para receber e encantar os turistas que têm a oportunidade de visitá-la. Não foi à toa que ela foi eleita a melhor ilha particular pertencente a uma companhia de cruzeiros (http://www.cruisecritic.com/memberreviews/destination-awards/private-island/ ).

Os cruzeiros Disney para as Bahamas e o Caribe sempre incluem um dia de parada em Castaway Cay. O navio chega lá pela manhã, bem cedinho, e fica até o fim da tarde. Parece muito tempo, mas é pouquíssimo diante de tudo o que há para visitar e curtir por lá. Por isso, acorde cedo, tome café da manhã e desembarque o mais rápido possível para aproveitar ao máximo.

A Bela, ainda no café da manhã no navio, espiando Castaway Cay.

Para desembarcar, não esqueça o seu cartão “Key to the world”. Sem ele, é impossível descer do navio e é ele que você vai usar para todas comprinhas que eventualmente fizer na ilha. Leve algum dinheiro com você, pois você precisará, caso use algum serviço que precise de gorjeta (consumo de bebidas alcoólicas na praia, por exemplo). Fique atento para não esquecer nada no navio, pois o caminho da sua cabine até a área de lazer da ilha é bem longo. Seria um estresse ter que voltar até lá para buscar algo. Câmera, protetor solar, chapéu, camisa com proteção UV, fraldas, lenços umedecidos, toalhas, remédios, mamadeiras, leite… Certifique-se de que tem tudo o que precisará durante todo o dia com você. Quando fomos, nós esquecemos os brinquedinhos de areia da Isabela na cabine, então preferimos comprar brinquedinhos novos nas lojinhas do que ter que voltar ao navio para buscar. Terminou que foi muito legal, pois os baldinhos que eles vendem lá são uma graça e ficaram como uma linda recordação da ilha. Na época em que fomos, não achamos tão caro. Custava US$ 5 cada conjunto. Compramos o baldinho de castelo da Cinderela, o do Nemo (ambos vêm com uma pazinha) e a pá gigante do Mickey.

Brinquedos de praia novos, lembrança de Castaway Cay

Sobre as compras, na ilha há produtos exclusivos da Disney, que só são vendidos em Castaway Cay . Se vir por lá alguma coisa que gostou, não deixe para comprar depois nos parques da Disney ou mesmo no navio, pois provavelmente não encontrará.

Lojinha com nome super criativo

Quando descer no navio, lembre de pegar toalhas limpinhas para todos os membros da sua família.

Assim como no navio, em Castaway Cay há recreação para as crianças com os tios dos clubes infantis e uma área exclusiva para adolescentes. Portanto, se quiser dar uma escapada para a praia exclusiva de adultos (Serenity Bay), deixe as crianças por um tempo no clubinho.

Neste porto de parada estão incluídos: transporte de tram ao longo da ilha, almoço – buffet em estilo barbecue, sorvete, frutas e bebidas não-alcoólicas à vontade, entrada em todas as praias (inclusive a exclusiva para adultos), cadeiras de praia, guarda-sóis e redes, entretenimento na ilha (incluindo shows musicais e kids club), trilhas, esportes de praia, aulas de ioga, splash zone, encontros com personagens, empréstimo de carrinho, escorregador no Pelican Plunge.

NÃO estão incluídos e precisam ser pagos à parte: aluguel de bicicletas, boias, caiaques, pedalinhos, equipamentos de mergulho, tratamentos de estética, souvenires, etc..

Para saber o que está incluído no valor do cruzeiro e o que é pago a parte, acesse esse post.

 

Pelican Plunge

O Pelican Plunge é uma plataforma flutuante de mais de 700 metros quadrados e para chegar até ele, é necessário ir nadando. Lá você encontrará dois toboáguas e um super “banho de balde”. Saiba que o mar é bem fundo ali (mais de 1,80m), cobrindo até mesmo um adulto de pé. Crianças devem usar colete salva-vidas. Se você não se sente confortável com a profundidade ou não nada bem, também há coletes disponíveis para adultos.

 

Spring-a-Leak

O Spring-a-Leak é uma área semi-sombreada para crianças, com piso macio e um montão de esguichos de água doce. É um verdadeiro paraíso para crianças pequenas. Difícil foi tirar a Isabela de lá… Ela amou! A carinha de felicidade dela naquele lugar é inesquecível.

Restaurantes

Há três restaurantes em Castaway Cay (Cookies BBQ, Cookies Too BBQ e um na praia exclusiva para adultos, que falam que é melhor que os dois primeiros). Em todos, a comida é a mesma: churrasco, no estilo barbecue americano. Costelas, frango, hot dog, hambúrguer, steak, salada de batatas, salada de tomates, coleslaw, milho cozido, pão de alho e queijo, frutas, cookies, sorvete, bebidas não alcoólicas à vontade…

A comida é servida em estilo de buffet. Você mesmo se serve e senta em um salão aberto e muito bem decorado, que fica logo ao lado. Ambiente descontraído, bem família. Como nós gostamos desse tipo de comida, curtimos bastante.

Encontro com personagens

Na ilha, também estão programados encontros com personagens. Alguns deles, costumam só aparecer na ilha, como Lilo e Stitch. Para saber local e horário, basta consultar seu Personal Navigator ou o aplicativo da Disney Cruise Line. Nós não nos programamos para encontrar com nenhum personagem, mas, no caminho de volta para o navio, lá estavam o Tico e o Teco e todo mundo que estava na fila para reembarcar, pôde fazer fotos com eles.

Aluguel de equipamentos

Boias, colchões flutuantes, caiaque, snorkel, bicicleta… Tudo disponível para aluguel. Não chegamos a alugar nenhum desses itens, mas a Andreza, do blog Andreza Dica e Indica alugou vários itens em um pacote e para todos da família (boias, snorkel, bicicleta…) e falou que teria compensado alugar os itens separadamente, pois eles não tiveram tempo para usar tudo. Veja o que ela disse nesse post.

Inclusive, para quem quiser curtir a ilha em grande estilo, é possível alugar cabanas privativas em um trecho separado da praia. Você terá acesso a espreguiçadeiras e guarda-sóis só seus, frigobar abastecido, toalhas fresquinhas, boias, brinquedos de praia, praia vazia… Um luxo! A brincadeira não sai barata. Custa facilmente mais de 500 dólares (399, se a cabana for na ilha exclusiva para adultos). Se quiser ler um relato de quem já fez, veja esse post: http://disneycruiselineblog.com/2016/04/family-beach-cabana-experience-disneys-castaway-cay/ . Neste outro post, o autor apresenta 10 motivos para você criar coragem e alugar uma cabana: http://blog.touringplans.com/2014/12/18/10-reasons-cabana-castaway-cay-worth-trying-get/ . Ah! E se você realmente pensa em alugar uma, se apresse e reserve logo a sua, pois elas esgotam rapidamente.

Serenity Bay

Uma praia exclusiva para pessoas com mais de 18 anos. Todos falam que é um dos trechos mais bonitos da ilha e que o mar parece um espelho de tão calminho. Infelizmente, não tivemos a oportunidade de conhecê-la, pois a nossa pequena ainda tinha menos de três anos e não podia ficar sozinha no kids club.

Para saber mais sobre Serenity Bay, veja esse post da Luciana Misura, do blog Colagem: http://luciana.misura.org/2015/11/10/ilha-da-disney-nas-bahamas-castaway-cay-e-o-paraiso/ .

Passeios/excursões

Assim como nos outros portos de parada, em Castaway Cay também há passeios organizados (Port Adventures). Para saber quais são e quanto custam, veja este link: https://disneycruise.disney.go.com/port-adventures/bahamas/list/castaway-cay/ .

Não fizemos nenhum desses passeios pagos à parte e também não sentimos falta, já que há tanto para curtir na ilha. Acreditamos que esse tipo de programa deva ser uma boa opção para quem já foi à ilha outras vezes e cansou (se é que isso é possível) do que tem para fazer “de graça” lá ou para quem curte muito ou sempre sonhou em fazer alguma daquelas atividades (por exemplo, pesca, mergulho, parasailing, esqui aquático…).

Agência dos correios

Uma curiosidade é que em Castaway Cay tem uma agência dos correios, de onde você pode enviar cartões postais e cartas com selos exclusivos da ilha. Como a agência é operada por autoridades das Bahamas, é possível que não esteja aberta no dia da sua visita. Se você tem interesse em enviar alguma correspondência de lá, adquira os selos no Guest Services dentro do navio. Daí, quando chegar à ilha, é só depositar sua carta na caixa da agência (drop box).

Você sabia…

…que antes de “pertencer” à Disney, a ilha de Castaway Cay era conhecida como Gorda Cay e era usada como rota estratégica para o tráfico de drogas? Em determinado ponto da ilha, ainda é possível ver uma aeronave abandonada, usada naquela época.

Dica especial: não precisa levar o seu carrinho de bebê para a ilha. Lá eles disponibilizam, como cortesia, carrinhos de bebê, wagons e cadeiras de roda com rodas especiais para transitar pela areia. Particularmente, amei esses carrinhos a la caçamba de caminhão (wagons). A gente simplesmente jogava tudo dentro do carrinho (toalhas, mochila, câmera, mapa, brinquedos de praia, a Bela rsrsrsrsrs) e rodava para todos os lados, sem maiores preocupações.

Resumindo… Castaway Cay é um lugar simplesmente incrível e é uma das principais razões que me faria pensar bastante antes de optar por uma companhia de cruzeiros que não fosse a Disney Cruise Line ao visitar as Bahamas ou o Caribe.

Depois de um dia inteiro na ilha, voltamos ao navio e uma super festa nos aguardava: a Pirate Night. A festa no deck do navio é imperdível. Já falamos um pouco sobre ela e os preparativos neste link.