Nassau, Bahamas: Atlantis Aquaventure

A cidade de Nassau é a capital das Bahamas e fica localizada na ilha de Nova Providência (New Providence), uma das 3000 ilhas que constituem o arquipélago das Bahamas.

Por ter um porto grande e com boa estrutura, a cidade de Nassau é um importante ponto de parada dos cruzeiros que navegam pelo Caribe. Os cruzeiros da Disney pelas Bahamas sempre fazem uma parada em Nassau.

Navios de outras companhias de cruzeiro

A própria Disney Cruise Line oferece uma variedade de passeios que podem ser realizados nos portos de parada. A lista dos passeios oferecidos em Nassau pode ser conferida neste link: https://disneycruise.disney.go.com/port-adventures/bahamas/list/nassau/ . Como dá para notar, boa parte dos programas envolve o complexo de lazer do Atlantis.

O Atlantis é uma espécie de mega resort com parque aquático, praia artificial, praia natural, cassino, aquário, campo de golfe e diversas atrações “típicas” caribenhas, como interação com golfinhos e leões marinhos. Existe uma grande diversidade de pacotes que são oferecidos para quem pretende conhecer o complexo. Desde tours que praticamente só dão o direito de conhecer as dependências do resort, até pacotes que incluem parque aquático, praia e almoço.

Nós adquirimos diretamente com a Disney Cruise Line o pacote Atlantis Aquaventure (N25). Essa aquisição pode ser realizada nas semanas que antecedem o embarque, pelo site da Disney Cruise Line, ou dentro do navio, no setor Port Adventures. Como há a possibilidade de esgotarem as vagas em algumas atividades, se estiver realmente interessado em algum programa, vale a pena reservar antes.

O serviço não é oferecido pela Disney Cruise Line, mas por parceiros contratados. No entanto, tudo é realizado de forma extremamente organizada. No dia anterior ao passeio, recebemos os vouchers do pacote na cabine, juntamente com uma folha com instruções (ponto de encontro no navio, horários, o que levar, como proceder).

No dia do passeio, tomamos um café da manhã reforçado no restaurante Cabanas e partimos para o ponto de encontro. A partir dali, funcionários da Disney nos conduziram até o exterior do navio, onde nos deixaram na companhia de um guia do Atlantis, que deu continuidade ao tour. Ao sairmos do porto, um ônibus já nos aguardava para nos encaminhar ao complexo de lazer.

Todos seguem o guia do Atlantis
Ônibus reservado para o nosso passeio

Chegando ao Atlantis, o guia fez um mini tour, com explicações sobre a localização dos atrativos e recebemos toalhas e vouchers para o almoço.

A partir daí, é só aproveitar as piscinas, toboáguas, boias, praia, sol… A parte infantil do parque aquático é bem bacana e a Bela curtiu bastante. Escorregadores, esguichos, jatos d’água, sprays para todo lado. Coletes flutuantes ficam à disposição dos visitantes.

Parque aquático do Atlantis
Toboágua bacana, que cruza um aquário com tubarões. Aquele dentro do tubo, com os braços para cima, é o Gustavo
Praia artificial do resort

O aquário do resort é bem grande e bonito. Diversas espécies podem ser observadas lá, inclusive arraias e tubarões de diferentes espécies. Vale reservar um tempo para fazer uma visita nele e na parte interna do resort, onde lojas e uma decoração inspirada no continente perdido de Atlantis se encontram. É tudo muito grandioso e diferente. Não perca.

Aquário

O ponto fraco do passeio foi o almoço, que era servido em lanchonetes localizadas na área do parque aquático e praia. Um hambúrguer bem mixuruca com batatas fritas. Muito fraquinho e sem sabor. Depois dessa refeição, a fome voltou rápido então, quando voltamos ao navio, pedimos serviço de quarto caprichado.

De volta ao navio. Home service, please!

Vale lembrar que o serviço de quarto é gratuito, mas é necessário pagar uma gorjeta para o funcionário que fizer o atendimento. Bebidas engarrafadas e enlatadas e saquinhos de amendoim, castanhas industrializados também são cobrados à parte no serviço de quarto. Já os sucos que vêm em copos estão incluídos. Para lembrar o que está e o que não está incluído no Cruzeiro Disney, entre nesse post.

Na volta do passeio, passamos por várias lojinhas de souvenires e artesanato em frente ao porto. Uma oportunidade para comprar uma lembrancinha da cidade de Nassau.

Em frente ao porto, locais autorizados para trançar o cabelo
Em frente ao porto, locais autorizados para trançar o cabelo
Comércio em frente ao porto
Comércio em frente ao porto
Esperamos voltar em breve, sim!

Atenção! No desembarque e no embarque, todos precisarão apresentar o cartão do quarto (Key to the world) e documento de identidade. Seus pertences também passarão pelo raio x do navio. Fique atento ao que pode e não pode ser trazido de volta para o navio por questões alfandegárias. No informativo que é entregue na cabine no dia anterior, eles detalham direitinho quantidades, valores e itens proibidos. Charutos cubanos, plantas e produtos perecíveis, por exemplo, são proibidos.

Uma curiosidade: antes de entrar de volta no navio, todos precisam higienizar as mãos em uma torres que são disponibilizadas com spray antisséptico.

A Bela na varanda da nossa cabine, se despedindo de Nassau
Vista para Nassau, diretamente da varanda da nossa cabine
Vista para Nassau, diretamente da varanda da nossa cabine
O Atlantis, visto da nossa varanda

Uma dica: se seu filho for pequeno, leve o carrinho de bebê. Depois de muito curtir as piscinas, a Bela ficou cansadinha e quis deitar no carrinho. Pouco tempo depois, pegou no sono. Já pensou ter que ficar carregando a criança no colo em um lugar enorme como aquele? Deixamos a Bela dormindo no carrinho, bem ao lado da piscina, enquanto nos refrescávamos na piscina de adultos e nos divertíamos com o quiz que a equipe de recreação do resort estava fazendo com os hóspedes e visitantes. Além disso, quando o carrinho não estiver sendo usado pela criança, dá pra “guardar” todos os pertences nele (obviamente, precisamos ficar sempre de olho): toalhas, roupas secas, protetor solar, câmera, etc. Sempre que sair para outra área do resort, é só puxar o carrinho com toda a parafernália.

Curtindo a piscina de adultos, enquanto a Bela tirava uma soneca no carrinho, bem ao lado
Vale a pena levar o carrinho, sim!

Outras opções de passeio em Nassau + sugestões de leitura

Para quem não quer fazer algum dos passeios comercializados pela Disney Cruise Line, há a possibilidade de fazer algum passeio independente. Na área externa do porto, muitas pessoas ficam oferecendo passeios a preços mais convidativos que os praticados no navio. Se quiser arriscar, é uma possibilidade.

Também é possível sair do navio e bater perna pela cidade por conta própria. Se decidir alugar um carro, saiba que nas Bahamas, por se tratar de uma ex-colônia britânica, se dirige na mão inglesa. Muitos veículos não possuem adaptação, pois são importados dos Estados Unidos.

A Thyl Guerra, do blog Viajando com Palavras, decidiu deixar seus filhos no clubinho infantil do navio (Oceaneer Club) e desembarcou na cidade junto com o marido para fazer um tour a pé. Ela conta com detalhes nesse post o trajeto que fizeram e os pontos turísticos que visitaram. A Thyl até compartilhou um mapinha indicando cada ponto percorrido. Eles voltaram ainda cedo para o navio (às 12h30) e aproveitaram para curtir o Disney Dream mais vazio, já que muita gente desce em Nassau para fazer os passeios.

A Patrícia Tayão, do blog Viajar hei, também deixou o filho no Oceaneer Club e desembarcou para conhecer melhor a cidade junto com o marido. Ela conta nesse post que a praia de Junkanoo Beach é bem calminha e que se sentiu segura lá.

A Francine Agnoletto, do blog Viagens que sonhamos, desembarcou junto com o marido e o filho e pegou um táxi-van para a praia pública que fica perto do Atlantis. Lá eles curtiram a praia até as 14h. Veja nesse post como foi a experiência deles.

Para quem lê em inglês, neste fórum há um comparativo entre dois passeios de praia comercializados na Disney Cruise Line: o Atlantis Beach Day e o Blue Lagoon Island Beach Day.

Neste post, a Cheryl, do blog Kids on a Plane, fala que decidiu não desceu em Nassau e preferiu ficar no navio, mas que se arrependeu de ter tomado essa decisão, a qual chamou de “maior erro que cometemos no nosso primeiro cruzeiro”. Leia o post e entenda a opinião dela.

Neste link do site Mouse Savers, há dicas gerais sobre como economizar nas excursões dos portos de parada, entre outras informações valiosas.

Veja também os outros posts que fizemos sobre o Cruzeiro Disney:

Cruzeiro Disney Dream – Bahamas – post 1 (sobre a Disney Cruise Line, seus navios, itinerários, compra do pacote, escolha da cabine e o que está ou não incluído no valor pago)

Preparativos especiais para o Cruzeiro Disney

Cruzeiro Disney Dream – Bahamas: vamos embarcar!

Bayside Marketplace: compras, restaurantes e lazer com vista para a Biscayne Bay (Miami)

Um programa gostoso de fazer em Miami Downtown é um passeio pelo Bayside Marketplace, uma espécie de shopping outdoor cheio de charme e localizado em frente à Biscayne Bay (a vista para a baía é linda).

Bayside Marketplace. Créditos: Averette, http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/
Daqui saem vários passeios de barco

O Bayside, que vive lotado de turistas, tem diversas opções de lojas, restaurantes e cafés. De lá saem diversos passeios de barco e sightseeing tours. À noite tem shows com música ao vivo.

Vista do Bayside Marketplace e Miami Downtown à noite. Créditos: Xynn Tii – https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/2.0/ – https://www.flickr.com/photos/xynntii
Bayside lotado de turistas

Como chegamos a Miami cedinho, nosso apartamento ainda não estava liberado para check-in. Aproveitamos para resolver as primeiras questões de logística (compra do chip americano para o celular, troca da cadeirinha veicular da locadora pela nossa própria, compra de comes e bebes – do jeitinho que relatamos no post anterior). Quando acabamos de resolver tudo, já estava na hora do almoço.

Ainda estávamos com o carro carregado de bagagens, cansados da viagem, vestindo as mesmas roupas que usamos quando saímos de São Paulo no dia anterior. Mas era preciso esperar o apartamento ficar pronto, então paciência…

Assim, partimos para almoçar. Lembrei que precisávamos ir a algum lugar onde pudéssemos estacionar com alguma segurança, já que as nossas malas estavam no carro. Quando comentei isso, eu e o meu marido falamos ao mesmo tempo: “Bayside Marketplace!”. Bem, na verdade, ele falou “Aquele shopping que fica em frente ao mar e que tem um Hard Rock Cafe”, o que no fundo é a mesma coisa, certo? Estávamos em sintonia, então partimos para lá.

Vale destacar que não faço a mínima ideia de se o lugar é seguro para estacionar com bagagem no carro. Só pensamos que como o estacionamento é pago, fechado e fica em um lugar bastante movimentado, o risco de termos as malas roubadas seria ligeiramente menor. Então arriscamos e, quando voltamos, ainda estava tudo lá. Graças a Deus! [UPDATE: Parece que nem lá o estacionamento é seguro para quem está com compras no carro. Vejam nos comentários desse post o depoimento de uma pessoa que teve o carro arrombado nesse estacionamento. Que triste isso, gente! Esse tipo de ocorrência, infelizmente, tem se tornado cada vez mais frequente na Flórida].

Embora Miami tenha outras opções melhores para compras, como é o caso dos outlets, o Bayside tem boas lojas e os preços não são ruins. Se estiver rolando alguma liquidação, pode-se encontrar preços semelhantes aos dos outlets. Entre as lojas, algumas das favoritas dos turistas brasileiros, como Gap (Baby, Kids e adulto), Claire’s (os acessórios de lá são super fofos), Crocs, Disney Store (quando fomos nessa última viagem estava quase tudo em promoção e fizemos umas comprinhas por lá), Foot Locker (de artigos esportivos), Gamestop (o paraíso para quem curte videogame – marido faz a festa!), Guess, Sunglass Hut, Victoria’s Secret, entre outras. Lá também tem muitas lojinhas de souvenir e presentinhos em geral.

Bela colorindo na Disney Store
Fez questão de carregar ela mesma as comprinhas da Disney Store

Para ver a lista completa das lojas do Bayside Marketplace, clique aqui .

No quesito alimentação, o Bayside Market tem muitas boas opções de restaurantes, cafés, bares e sorveterias. Hard Rock Cafe, Hooters, Bubba Gump Shrimp Co. (vamos falar sobre ele no próximo post) e os bem avaliados no TripAdvisor, mas que ainda não testamos: Los Ranchos Stakehouse, Five Guys Burger (falam que hambúrguer de lá é divino) e Let’s Make a Daikiri (bar).

Para ver a lista completa dos restaurantes do Bayside Marketplace, clique aqui.

Os horários de funcionamento do Bayside são: de segunda a quinta, das 10h às 22h; sexta e sábado, das 10h às 23h; domingo, das 10 às 21h.

Daqui saem os passeios de barco
Acho que a Bela quer sorvete
Frente do Bayside Marketplace. Créditos: http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/

Para chegar lá, digite no GPS: 401, Biscayne Boulevard. Quando chegar em frente ao shopping, siga as placas “Parking” ou “Parking Garage” (estacionamento). O estacionamento é pago e varia de acordo com o tempo que você passar lá. Para saber os valores, clique aqui. Você pode pagar o estacionamento em um dos terminais de autoatendimento situados entre o estacionamento e o shopping.

Para quem vai com crianças, é super tranquilo passear com carrinho, há banheiros com trocadores e restaurantes kid-friendly. Eles também oferecem o serviço de aluguel de cadeira de rodas e há um centro de informações ao visitante.

Bônus: American Airlines Arena

O shopping fica bem ao lado da American Airlines Arena, ginásio onde joga o time da NBA, Miami Heat, e onde há muitos shows musicais. Uma boa ideia de programa é casar passeio no Bayside + comidinha gostosa em algum restaurante de lá + jogo de basquete do Miami Heat. Sucesso garantido!

American Airlines Arena. Créditos: Edgar Serrano – http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/
Jogo do Miami Heat. Créditos: Melanie Applegate – https://creativecommons.org/licenses/by-nd/2.0/ – https://www.flickr.com/photos/melanietippsphotography/

Frequentar eventos esportivos é um dos nossos programas favoritos nos Estados Unidos. Eles transformam as partidas em verdadeiros espetáculos. Achamos que vale muito à pena viver essa experiência. Quem acompanha o blog, sabe que já assistimos jogos dos New York Yankees, Anaheim Ducks e Los Angeles Lakers.

É um programa divertido e super tranquilo para fazer com crianças. Uma dica importante é: lembre de comprar os ingressos com antecedência. Para saber mais, leia: http://pezinhonaestrada.com/2014/10/14/los-angeles-anaheim-e-arredores-da-capital-mundial-do-cinema-ao-berco-da-disney/ e http://pezinhonaestrada.com/2014/08/05/nova-york-com-bebe-de-um-ano-parte-4-go-yankees/ .

Tibau do Sul e Pipa: um pouquinho dos encantos da orla do RN (parte 1)

Dunas, falésias, golfinhos, encontro do rio com o mar, gastronomia internacional, comida caseira gostosa, mar quentinho e tranquilo, mar legal para o surfe, bons hotéis e pousadas, sossego, badalação, diversos lugares para curtir um pôr-do-sol de tirar o fôlego, gente simples, simpática e hospitaleira, gente descolada e moderninha, solteiros, famílias, lojas e ruas coloridas e cheias de vida, estrangeiros, brasileiros, um lugar gostoso para deitar na rede e ficar quietinho… Tibau do Sul é assim: paradoxalmente linda e encantadora. Da badalação noturna da Praia de Pipa à tranquilidade de ficar deitado nas águas rasinhas e tranquilas da orla de Tibau (parece um espelho!), em poucos passos migra-se de um estado de espírito a outro. Aquele cantinho do Rio Grande do Norte é assim… Completo!

O melhor de tudo é que o município de Tibau do Sul, onde está localizada a praia de Pipa (Sim! Pipa fica em Tibau. Não são dois municípios diferentes como muita gente acha, não.), está estrategicamente localizado entre duas capitais nordestinas: João Pessoa e Natal. Assim, partindo de qualquer uma das duas, em cerca de uma hora você estará lá.

Como moramos longe da família, as nossas férias de fim de ano sempre são junto com eles, na nossa terra natal, João Pessoa (em breve, muitas dicas sobre JP no nosso blog). Sempre que podemos, aproveitamos também para matar um pouco da saudade de Pipa, que sempre fez parte da nossa história juntos.

Como chegar

Tibau do Sul fica a 80 km de Natal e a 150 km de João Pessoa. Em ambos os casos, deve-se pegar a BR-101 até a cidade de Goianinha e, de lá, pegar uma estradinha vicinal que vai até Tibau do Sul (saindo de Natal, BR-101 no sentido sul; saindo de João Pessoa, BR-101 no sentido norte). Aconselhamos que sejam muito cautelosos no trânsito, pois a estrada que vai de Goianinha a Tibau não é das melhores. Na verdade, ela é bem ruinzinha mesmo. Então sigam em segurança, com tranquilidade e sem pressa para chegar. Colocamos um mapinha no fim desse post para ajudar a visualizar melhor os dois caminhos.

Do centrinho de Tibau do Sul para Pipa é um pulo. 10 minutinhos de carro separam um lugar do outro.

Há quem vá até Pipa, partindo de Barra do Cunhaú ou Natal pela orla, pegando várias balsas no caminho para cruzar os rios. É necessário um veículo com tração nas quatro rodas e um motorista com experiência em dirigir na areia. Também é preciso ficar de olho na tábua das marés, ou o carro pode ser engolido pelo mar.

Hospedagem

Quando vamos a essa região, geralmente ficamos hospedados em Pipa. Já ficamos em várias pousadas diferentes e em breve faremos um post com mais dicas de hospedagem. Dessa vez, decidimos ficar em Tibau e valeu a pena!

Nos hospedamos no Hotel Tibau Lagoa e gostamos bastante. Achamos que oferece uma boa relação custo x benefício.

O hotel tem chalés duplos, triplos ou suítes para 4 pessoas. Os quartos possuem ar-condicionado, ventilador de teto, tv LCD, frigobar, telefone, música ambiente, cofre (paga-se uma taxinha para usá-lo). Banheiros com banheira com ou sem hidromassagem. No terracinho de cada chalé, uma mesinha com cadeiras e uma rede. Todos os quartos estavam limpos e cuidadosamente preparados para a nossa chegada, com toalhas com esculturas, mini-buquês de flores, florzinhas estrategicamente colocadas na pia do banheiro. Não tinha secador de cabelo nos apartamentos, mas era possível pegar emprestado com a recepção.

Nossos chalés no Hotel Tibau Lagoa
Bela amou as florzinhas deixadas pelo pessoal do hotel na nossa cama.
Frigobar no quarto. Hotel Tibau Lagoa.
Detalhe do quarto no Hotel Tibau Lagoa.
Buquê de florzinhas nos dá as boas vindas ao Hotel Tibau Lagoa.

Os chalés ficam cercados por jardins limpos e bem cuidados. Na área comum há internet wi-fi grátis (que às vezes funcionava também dentro dos quartos), sala de estar, sala de jogos, restaurante (cozinha portuguesa e brasileira), piscina, piscina infantil, bar molhado (não vimos ninguém atendendo lá, talvez porque o hotel estava com poucos hóspedes), estacionamento privativo gratuito e vigilância 24 horas.

Os funcionários eram atenciosos e prestativos. Café da manhã bom, talvez com poucas opções se compararmos a outras pousadas de mesmo porte no nordeste.

Localizado próximo ao centro de Tibau, a 5 minutinhos da orla (de carro).

Passeios

Orla de Tibau do Sul

Chegando a Tibau, siga as placas “Orla de Tibau” ou “Balsa”. Elas te levarão a uma parte da praia que é cheia de barraquinhas e com o mar mais calminho, por causa de umas pedras que impedem as ondas fortes de chegarem até lá. Se caminhar até a pontinha, em frente à barraca da Madalena, verá uma piscininha natural que se forma na maré baixa. É um verdadeiro espelho. Bem rasinho, maravilhoso para quem está com crianças pequenas. A Bela, na época com 2 anos e 7 meses, curtiu muito! E dá para ver vários peixinhos nadando em nossa volta. Delícia, delícia, delícia.

Praia de Tibau
Tibau do Sul
Bela e a vovó curtem a piscina natural em Tibau do Sul
Bela e a vovó curtem a piscina natural em Tibau do Sul
Mamãe e Bela aproveitam o espelhinho em Tibau do Sul. Lá no fundo, as dunas maravilhosas do Rio Grande do Norte.
Bela, a vovó e a mamãe se esbaldando nas águas quentinhas e tranquilas de Tibau do Sul.
A Bela livre, leve e solta no mar tranquilinho de Tibau do Sul.

Na barraca da Madalena, a mais bem localizada para quem quer ficar nessa parte do “mar-espelho”, encontramos preços ótimos. Para ter uma ideia, no dia anterior compramos cerveja na barraca da Portuguesa, na mesma praia, por R$ 9,00. Na da Madalena era R$ 4,50 (metade do preço pela mesmíssima cerveja de 600 ml!). Pedimos caranguejo no molho de coco, que estava custando R$ 3,00 (unidade). O pedido demorou bastante para ficar pronto, pois eles preparam tudo na hora! Mas vale muito a pena! Estava muito bem feito, gostoso, de bom tamanho, molho com muitas verduras e legumes. O prato veio acompanhado por pirão de caranguejo! Como eles preparam tudo na hora, recomendo que façam o pedido assim que chegarem e curtam muito a praia enquanto tudo é preparado. Quem já fez caranguejo sabe que eles demoram para cozinhar. Na barraca dela também tem refrigerante de litro que vem na garrafa de vidro (o mais gostoso e mais “sustentável”), sucos da fruta e um cardápio bem variado. Excelente relação custo x benefício. A nossa mesa era bem ao lado da piscininha natural onde a Bela brincava à vontade e fazia amizade com outras crianças que estavam por ali.

Caranguejos na Barraca da Madalena, Tibau do Sul.
Bela aguardando ansiosamente enquanto a vovó quebra o caranguejo pra ela.

Acho tão legal ver a Bela interagindo com outras crianças… Uma menininha espanhola se aproximou e começou a conversar com ela, que veio até mim toda contente:

“Mamãe, ela está falando inglês!”

“Não é inglês, filha. É espanhol.”

“Espanhol?!?!”

Então comecei a ensinar umas coisinhas básicas de espanhol para a Bela interagir com a coleguinha. Nem precisava. Em pouco tempo, elas já estavam lá brincando em alguma linguagem universal das crianças. Bem legal!

Ali bem perto ficavam uns brinquedos infláveis dentro da água (escorregador, entre outros), mas não usamos porque eram evidentemente mais apropriados para crianças maiores. Também há caiaques para alugar. É dali de perto que sai a balsa para cruzar o rio e ir até Malembá, a caminho de Natal.

Praia do Madeiro

A praia do Madeiro é uma coisa linda de se ver. Estando de frente para o mar, se você olhar para a direita, verá falésias. Se olhar para a esquerda, verá as dunas lá no cantinho. A praia é o point da turma jovem, com mar ideal para a prática do surfe.

Para chegar à praia, é preciso estacionar o carro na pista que liga o centro de Tibau do Sul a Pipa e descer uma escadaria imensa. Não contei quantos degraus eram, mas, de acordo com um moço que trabalha lá, são 150. De tirar o fôlego! Tem que descer com cuidado, devagarzinho e apreciando a vista. Com sorte, aparecerão saguis pelas árvores do caminho.

Ficamos no Bar do Jegue, que tem várias espreguiçadeiras na sombra. Os preços são bem mais altos que em Tibau, mas nada de outro mundo. Cerveja, só em lata. Achamos a comida boa, mas nada especial. Ficamos só nos ensopados (caldinhos) de caranguejo e camarão.

Bar do Jegue, na Praia do Madeiro

 

Na volta para o carro, quem ficou na Barraca do Jegue ganha banho de água doce de graça. Em outros casos, eles cobram uns dois reais por uma chuveirada rápida.

O visual da praia vale a visita.

Praia do Centro

Essa é a praia mais cheia da região, por ficar bem ao lado do centrinho de Pipa. Muita gente acaba achando que Pipa é só aquilo ali (muvuca), pois só fica nessa praia. Tem uma quantidade grande de barracas e, dependendo da época do ano, formam-se umas piscinas e as mesas ficam praticamente dentro d’água. A abordagem de vendedores ambulantes e pessoas oferecendo passeios é muito constante. Chega a ficar chato.

Não entendam errado. A praia é linda e tem barraquinhas legais, mas existem outras praias mais legais, que não podem deixar de ser visitadas.

Dali de perto saem passeios de barco para observação de golfinhos. Os organizadores dizem que se os golfinhos não aparecerem, devolvem o dinheiro.

Pipa.

Vale a pena provar o pastel de uma pastelaria que fica lá. Vários sabores de recheio diferentes, muitos de frutos do mar. Sempre peço o de arraia, que é muito bom.

Baía dos Golfinhos

A praia é belíssima e rodeada por falésias. Dependendo da maré, os golfinhos chegam bem perto dos banhistas. Às vezes eles acompanham os surfistas nas ondas. Uma coisa linda de se ver!

O acesso pode ser feito de algumas formas: em passeios de barco organizados (oferecidos nas pousadas, praias e pelas ruas de Pipa); caminhando pela praia na maré baixa, partindo da praia do Centro (15 a 20 minutos de caminhada – cuidado com as pedras). Também dá para ir partindo da praia do Madeiro, mas esse trecho tem mais pedras, é mais demorado e exige mais cuidado.

Praia do Amor

É um dos pontos preferidos dos surfistas e da turma jovem. Como também é uma praia de falésias, para acessá-la é necessário descer uma escadaria gigante (encontrando saguis fofinhos pelo caminho) ou pela praia, na maré baixa, tendo como ponto de partida a praia do Centro (cuidado com as pedras).

É na praia do Amor que fica a famosa Biblioteca da Praia.

Centro de Pipa

É a área onde ficam as lojinhas de souvenir e artesanato, boutiques, lojas de grife, restaurantes, pizzarias, bares, baladas, sorveterias… Nessa parte mais movimentada também há muitas boas opções de hospedagem. O colorido das ruas, a energia das pessoas, a atmosfera praiana… Tudo encanta!

O passeio nessa parte da cidade é legal a qualquer hora do dia, mas à noite ganha um brilho especial, pois quase tudo está aberto. Dá para ir tranquilo com crianças, mas as ruas com paralelepípedos e as calçadas (às vezes a ausência delas) irregulares são um estímulo a deixar o carrinho de bebê no hotel ou em casa.

Noite de Pipa.
Noite de Pipa.

No próximo post, falaremos um pouquinho sobre gastronomia e daremos algumas dicas de hospedagem na cidade.

Chapadão

O Chapadão é um mirante natural maravilhoso. A vista é linda e o acesso é fácil. Fica a mais ou menos 2 km do centro. Dá para chegar lá a pé, de carro ou bike.

Pôr-do-sol na Lagoa dos Guaraíras

A Lagoa dos Guaraíras é uma das primeiras coisas que o turista vê quando vem chegando ao município de Tibau do Sul. Fica no lado esquerdo de quem está chegando. Para apreciar a vista, há um mirante construído no portal de entrada da cidade.

 

Dizem que a lagoa já foi só de água doce e, por motivos naturais, hoje tem contato e se mistura com o mar.

O pôr-do-sol ali é belíssimo e a paisagem no entorno mistura água, barquinhos, dunas e falésias. Lindo, lindo, lindo!

Se não quiser ficar no mirante, pode escolher algum dos bares que ficam pela orla de Tibau e fazer um happy hour.

__________________________________

Há muitos outros passeios e atividades para fazer em Tibau do Sul, Pipa e região. Passeios de barco, de jipe, de buggy, de quadricículo, aluguel de equipamentos esportivos, wake board, jet-ski, SUP…

Para mais informações, indicamos alguns sites:

http://www.pipa-brasil.com/br/info/pipa-tourist-information

http://www.pipa.com.br/

http://www.pipaaventura.com.br/

http://www.tibaudosul.com.br/

Para ter uma noção da localização de cada praia mencionada neste post, da BR-101 e das estradinhas vicinais que ligam Goianinha a Tibau do Sul e Pipa, segue um mapinha do Google Maps. Observação: A rota iluminada em azul é com o ponto de saída em
João Pessoa (A) rumo à praia de Pipa (B), passando por Tibau do Sul, depois de lá até Natal (C). Para ver as praias, dê um zoom na área do ponto B.

 

No próximo post, traremos mais algumas dicas sobre gastronomia e hospedagem em Tibau do Sul / Pipa.