Nassau, Bahamas: Atlantis Aquaventure

A cidade de Nassau é a capital das Bahamas e fica localizada na ilha de Nova Providência (New Providence), uma das 3000 ilhas que constituem o arquipélago das Bahamas.

Por ter um porto grande e com boa estrutura, a cidade de Nassau é um importante ponto de parada dos cruzeiros que navegam pelo Caribe. Os cruzeiros da Disney pelas Bahamas sempre fazem uma parada em Nassau.

Navios de outras companhias de cruzeiro

A própria Disney Cruise Line oferece uma variedade de passeios que podem ser realizados nos portos de parada. A lista dos passeios oferecidos em Nassau pode ser conferida neste link: https://disneycruise.disney.go.com/port-adventures/bahamas/list/nassau/ . Como dá para notar, boa parte dos programas envolve o complexo de lazer do Atlantis.

O Atlantis é uma espécie de mega resort com parque aquático, praia artificial, praia natural, cassino, aquário, campo de golfe e diversas atrações “típicas” caribenhas, como interação com golfinhos e leões marinhos. Existe uma grande diversidade de pacotes que são oferecidos para quem pretende conhecer o complexo. Desde tours que praticamente só dão o direito de conhecer as dependências do resort, até pacotes que incluem parque aquático, praia e almoço.

Nós adquirimos diretamente com a Disney Cruise Line o pacote Atlantis Aquaventure (N25). Essa aquisição pode ser realizada nas semanas que antecedem o embarque, pelo site da Disney Cruise Line, ou dentro do navio, no setor Port Adventures. Como há a possibilidade de esgotarem as vagas em algumas atividades, se estiver realmente interessado em algum programa, vale a pena reservar antes.

O serviço não é oferecido pela Disney Cruise Line, mas por parceiros contratados. No entanto, tudo é realizado de forma extremamente organizada. No dia anterior ao passeio, recebemos os vouchers do pacote na cabine, juntamente com uma folha com instruções (ponto de encontro no navio, horários, o que levar, como proceder).

No dia do passeio, tomamos um café da manhã reforçado no restaurante Cabanas e partimos para o ponto de encontro. A partir dali, funcionários da Disney nos conduziram até o exterior do navio, onde nos deixaram na companhia de um guia do Atlantis, que deu continuidade ao tour. Ao sairmos do porto, um ônibus já nos aguardava para nos encaminhar ao complexo de lazer.

Todos seguem o guia do Atlantis
Ônibus reservado para o nosso passeio

Chegando ao Atlantis, o guia fez um mini tour, com explicações sobre a localização dos atrativos e recebemos toalhas e vouchers para o almoço.

A partir daí, é só aproveitar as piscinas, toboáguas, boias, praia, sol… A parte infantil do parque aquático é bem bacana e a Bela curtiu bastante. Escorregadores, esguichos, jatos d’água, sprays para todo lado. Coletes flutuantes ficam à disposição dos visitantes.

Parque aquático do Atlantis
Toboágua bacana, que cruza um aquário com tubarões. Aquele dentro do tubo, com os braços para cima, é o Gustavo
Praia artificial do resort

O aquário do resort é bem grande e bonito. Diversas espécies podem ser observadas lá, inclusive arraias e tubarões de diferentes espécies. Vale reservar um tempo para fazer uma visita nele e na parte interna do resort, onde lojas e uma decoração inspirada no continente perdido de Atlantis se encontram. É tudo muito grandioso e diferente. Não perca.

Aquário

O ponto fraco do passeio foi o almoço, que era servido em lanchonetes localizadas na área do parque aquático e praia. Um hambúrguer bem mixuruca com batatas fritas. Muito fraquinho e sem sabor. Depois dessa refeição, a fome voltou rápido então, quando voltamos ao navio, pedimos serviço de quarto caprichado.

De volta ao navio. Home service, please!

Vale lembrar que o serviço de quarto é gratuito, mas é necessário pagar uma gorjeta para o funcionário que fizer o atendimento. Bebidas engarrafadas e enlatadas e saquinhos de amendoim, castanhas industrializados também são cobrados à parte no serviço de quarto. Já os sucos que vêm em copos estão incluídos. Para lembrar o que está e o que não está incluído no Cruzeiro Disney, entre nesse post.

Na volta do passeio, passamos por várias lojinhas de souvenires e artesanato em frente ao porto. Uma oportunidade para comprar uma lembrancinha da cidade de Nassau.

Em frente ao porto, locais autorizados para trançar o cabelo
Em frente ao porto, locais autorizados para trançar o cabelo
Comércio em frente ao porto
Comércio em frente ao porto
Esperamos voltar em breve, sim!

Atenção! No desembarque e no embarque, todos precisarão apresentar o cartão do quarto (Key to the world) e documento de identidade. Seus pertences também passarão pelo raio x do navio. Fique atento ao que pode e não pode ser trazido de volta para o navio por questões alfandegárias. No informativo que é entregue na cabine no dia anterior, eles detalham direitinho quantidades, valores e itens proibidos. Charutos cubanos, plantas e produtos perecíveis, por exemplo, são proibidos.

Uma curiosidade: antes de entrar de volta no navio, todos precisam higienizar as mãos em uma torres que são disponibilizadas com spray antisséptico.

A Bela na varanda da nossa cabine, se despedindo de Nassau
Vista para Nassau, diretamente da varanda da nossa cabine
Vista para Nassau, diretamente da varanda da nossa cabine
O Atlantis, visto da nossa varanda

Uma dica: se seu filho for pequeno, leve o carrinho de bebê. Depois de muito curtir as piscinas, a Bela ficou cansadinha e quis deitar no carrinho. Pouco tempo depois, pegou no sono. Já pensou ter que ficar carregando a criança no colo em um lugar enorme como aquele? Deixamos a Bela dormindo no carrinho, bem ao lado da piscina, enquanto nos refrescávamos na piscina de adultos e nos divertíamos com o quiz que a equipe de recreação do resort estava fazendo com os hóspedes e visitantes. Além disso, quando o carrinho não estiver sendo usado pela criança, dá pra “guardar” todos os pertences nele (obviamente, precisamos ficar sempre de olho): toalhas, roupas secas, protetor solar, câmera, etc. Sempre que sair para outra área do resort, é só puxar o carrinho com toda a parafernália.

Curtindo a piscina de adultos, enquanto a Bela tirava uma soneca no carrinho, bem ao lado
Vale a pena levar o carrinho, sim!

Outras opções de passeio em Nassau + sugestões de leitura

Para quem não quer fazer algum dos passeios comercializados pela Disney Cruise Line, há a possibilidade de fazer algum passeio independente. Na área externa do porto, muitas pessoas ficam oferecendo passeios a preços mais convidativos que os praticados no navio. Se quiser arriscar, é uma possibilidade.

Também é possível sair do navio e bater perna pela cidade por conta própria. Se decidir alugar um carro, saiba que nas Bahamas, por se tratar de uma ex-colônia britânica, se dirige na mão inglesa. Muitos veículos não possuem adaptação, pois são importados dos Estados Unidos.

A Thyl Guerra, do blog Viajando com Palavras, decidiu deixar seus filhos no clubinho infantil do navio (Oceaneer Club) e desembarcou na cidade junto com o marido para fazer um tour a pé. Ela conta com detalhes nesse post o trajeto que fizeram e os pontos turísticos que visitaram. A Thyl até compartilhou um mapinha indicando cada ponto percorrido. Eles voltaram ainda cedo para o navio (às 12h30) e aproveitaram para curtir o Disney Dream mais vazio, já que muita gente desce em Nassau para fazer os passeios.

A Patrícia Tayão, do blog Viajar hei, também deixou o filho no Oceaneer Club e desembarcou para conhecer melhor a cidade junto com o marido. Ela conta nesse post que a praia de Junkanoo Beach é bem calminha e que se sentiu segura lá.

A Francine Agnoletto, do blog Viagens que sonhamos, desembarcou junto com o marido e o filho e pegou um táxi-van para a praia pública que fica perto do Atlantis. Lá eles curtiram a praia até as 14h. Veja nesse post como foi a experiência deles.

Para quem lê em inglês, neste fórum há um comparativo entre dois passeios de praia comercializados na Disney Cruise Line: o Atlantis Beach Day e o Blue Lagoon Island Beach Day.

Neste post, a Cheryl, do blog Kids on a Plane, fala que decidiu não desceu em Nassau e preferiu ficar no navio, mas que se arrependeu de ter tomado essa decisão, a qual chamou de “maior erro que cometemos no nosso primeiro cruzeiro”. Leia o post e entenda a opinião dela.

Neste link do site Mouse Savers, há dicas gerais sobre como economizar nas excursões dos portos de parada, entre outras informações valiosas.

Veja também os outros posts que fizemos sobre o Cruzeiro Disney:

Cruzeiro Disney Dream – Bahamas – post 1 (sobre a Disney Cruise Line, seus navios, itinerários, compra do pacote, escolha da cabine e o que está ou não incluído no valor pago)

Preparativos especiais para o Cruzeiro Disney

Cruzeiro Disney Dream – Bahamas: vamos embarcar!

Flórida e Bahamas: roteiro de 10 dias por Miami Beach, Cocoa Beach, Fort Lauderdale e cruzeiro Disney nas Bahamas

 

Quando vi a promoção das passagens da Azul para Fort Lauderdale, percebi que era hora de voltar para a Flórida. 😉 A Azul tinha acabado de começar a comercializar os seus novos voos para a Fort Lauderdale e Orlando, ambos partindo de Campinas. Esses voos só entrariam em operação dali a dois meses (meados de dezembro de 2014), ou seja, ninguém tinha testado ainda, não existiam os famosos reviews e indicações pela internet. Logo, ainda não sabíamos como isso funcionaria direito, se seria bacana, se o atendimento seria bom, qual seria o estado da aeronave, se teria entretenimento a bordo… Era tudo um grande mistério, mas a oferta era bacana e, como boa empresa brasileira, permitia parcelar o valor em 10 vezes, o que não acontece com as empresas estrangeiras, que geralmente parcelam em 5, no máximo 6 vezes (para saber como foi a nossa experiência com a Azul, aguarde o nosso próximo post, pois contaremos direitinho). Ou seja, essa era uma oportunidade perfeita para as mini-férias que estávamos programando para fevereiro/março.

Primeiro compramos as passagens e só depois começamos a pensar no roteiro. Afinal, eu sabia que seria fácil encontrar milhares de coisas para fazer lá pela Flórida e que o problema seria mesmo escolher alguns destinos em detrimento de tantos outros. Mas uma coisa que já sabíamos era que não queríamos ir a Orlando. Pelo menos, não naquele momento. Teríamos pouco tempo (10 dias) e, se decidíssemos ir aos parques seria uma correria louca para ver tudo, ainda faltaria tempo e voltaríamos super cansados. Não estávamos nessa vibe. Então pensamos em alugar um apartamento em Miami Beach ou Fort Lauderdale e ficar por ali, descansando, no maior estilo slow travel (amo!). No entanto, tinha uma coisinha que me estava martelando a cabeça há algum tempo: o cruzeiro Disney. Há anos isso estava na nossa wishlist e a vontade de viajar no navio do Mickey só aumentava. Essa era a hora! Incluímos o Disney Cruise. E aos poucos as demais paradas começaram a se encaixar no nosso roteiro, que no final ficou assim:

26/fevereiro: voo Campinas – Fort Lauderdale às 23:27

27/fevereiro: chegada a Fort Lauderdale às 06:00. Miami Beach

28/fevereiro: Miami Beach / Cocoa Beach

01/março: Cocoa Beach / Kennedy Space Center

02/março: Disney Cruise – Bahamas

03/março: Disney Cruise – Bahamas

04/março: Disney Cruise – Bahamas

05/março: Disney Cruise – Bahamas

06/março: chegada do Disney Cruise / Fort Lauderdale

07/março: Fort Lauderdale

08/março: Fort Lauderdale

09/março : chegada a Campinas

 

Ah ! Tínhamos pensado em incluir Key West no primeiro dia do roteiro, mas felizmente desistimos da ideia, pois teria ficado muito corrido (insano mesmo!). Assim sendo, Key West continua na wishlist, guardadinha para uma próxima oportunidade.

Nos próximos posts, compartilharemos com vocês o roteiro completo da nossa viagem em família pela Flórida e pelas Bahamas, tudo bem mastigadinho. Só para despertar um pouquinho a sua curiosidade, você verá, entre outras coisas: nossas impressões sobre o voo da Azul; o aeroporto de Campinas (e como fizemos para chegar lá); o aeroporto de Fort Lauderdale e a espera na fila da imigração; o aluguel e a escolha do carro; o apartamento maravilhoso pé na areia que alugamos em Miami Beach (e pertence a uma brasileira super gente boa); nosso passeio pelo Bill Bags State Park; nossa tentativa de visita frustrada ao Miami Children’s Museum; a tempestade que pegamos na estrada; nossa visita emocionante e inesquecível ao Kennedy Space Center (da Nasa); nossa inesquecível experiência gastronômica em um dos melhores restaurantes que já conhecemos (pequetitico e maravilhoso) em Cocoa Beach; a escolha do navio e da cabine no Disney Cruise; nossos preparativos para o cruzeiro e cada detalhe da nossa experiência nele; a nossa alegria por termos conseguido uma super barganha no Hotwire com o hotel de Fort Lauderdale; nosso hotel com vista fantástica e grudadinho no píer de Cocoa Beach; comprinhas, passeios, restaurantes…

  •  Período da viagem: fevereiro e março de 2015
  • Temperatura: agradável, variando de calorão a noite fresquinha (com água do mar um pouco mais fria do que imaginávamos).
  • Viajantes: casal + uma criança de 2 anos e 10 meses