Transporte em São Paulo: de carro, de metrô, de ônibus, de táxi, de Uber, de bike, a pé… Como é melhor?

Vai visitar São Paulo e está em dúvida sobre qual a melhor forma de se deslocar na cidade? Como moramos em São Paulo, preparamos algumas dicas para te ajudar a tomar essa decisão.

Alugar um carro talvez NÃO seja uma boa opção e vamos apresentar alguns motivos

  • O trânsito em São Paulo às vezes pode ser um pouco caótico e estressante. Você não quer se estressar justo nas férias, quer?
Trânsito em São Paulo. Foto: Henrique Boney. Creative Commons 3.0
  • Mesmo com GPS e Waze, às vezes pode ser um pouco confuso dirigir por aqui, principalmente para quem não conhece bem a cidade. Você perde uma entradinha na Marginal e já tem que dar a volta no planeta para conseguir corrigir o seu erro e voltar à sua rota.
  • A cidade é enorme e tem algumas pegadinhas (rodízio veicular, faixas exclusivas para ônibus), com as quais muita gente não está acostumada.
  • Estacionar pela cidade é caríssimo e estacionar de graça pela rua é quase uma missão impossível, principalmente nas regiões próximas a pontos turísticos, restaurantes e áreas comerciais. Um valet em frente a algum restaurante custa (fácil) uns 20 a 25 reais. No Shopping, se você demorar um pouco mais, for a um teatro ou cinema e fizer uma refeição, o valor do estacionamento pode chegar a 20 ou 30 reais. Na Rua Vinte e Cinco de Março, em dia de sábado, os estacionamentos custam em torno de 35 reais e o trânsito é de enlouquecer. Some os valores dos estacionamentos ao valor de aluguel do carro e veja se não fica bem mais em conta andar de táxi ou Uber.
Valores do estacionamento no Shopping Pátio Higienópolis em agosto de 2017

Metrô e ônibus

Embora o metrô cubra uma área relativamente pequena da cidade, boa parte dos pontos turísticos tem estações de metrô próximas (em breve faremos um post mostrando os principais pontos turísticos próximos ao metrô). Aliás, na hora de escolher o local da hospedagem, uma boa dica é escolher algum hotel que fique perto de alguma estação.

Mapa das estações de metrô e trem de São Paulo

Daí a dica é: some os valores das entradas do metrô (ou integração ônibus + metrô/trem) e veja se compensa ou não ir de Uber/táxi. Confira aqui as tarifas do metrô. Crianças de até 6 anos e idosos com mais de 60 anos viajam de graça. Muitas vezes, quando se está com um grupo grande, o Uber fica mais em conta, além de ser mais rápido e confortável.

A Isabela toda contente porque estava “passeando” de metrô

O metrô de São Paulo é muito bom. É limpo, é eficiente e bem organizado. Quem já andou de metrô em outros países (inclusive de primeiro mundo), vai ver que o metrô de São Paulo não fica devendo em nada (a não ser pela cobertura, que podia abranger uma área bem maior da cidade).

Estação Butantã – Linha Amarela. Foto: Surian. Creative Commons 3.0
  • Se você vai optar por usar o transporte público na sua viagem, compre o Bilhete Único, que permitirá que você use o combo ônibus + metrô/trem com desconto e até 4 viagens de ônibus em um intervalo de até 3 horas pagando apenas uma tarifa. Residentes de São Paulo precisam fazer um cadastro do Bilhete Único, mas turistas não. Para turistas, há a opção de adquirir o Bilhete Único Anônimo (sem cadastro) mediante o pagamento de R$ 3,80 referente ao cartão, acrescido da recarga mínima no valor de 5 tarifas vigentes. O Bilhete Único pode ser adquirido nos Postos Autorizados.
  • Se estiver com crianças pequenas, você pode usar o carrinho de bebê. Como você vai passear muito pela cidade e também fazer longas caminhadas dentro das estações, o carrinho ajuda bastante. Procure os elevadores dentro das estações. Há vagões prioritários para gestantes, pessoas com crianças de colo, idosos e pessoas com deficiência.
  • Evite os horários de pico (comecinho de manhã e fim da tarde), quando as pessoas estarão indo e vindo do trabalho. Nesses horários, a coisa pode ficar meio caótica nas estações.
  • Dá para andar de bike e levá-la dentro do metrô, mas há restrições de horários e dias da semana. Saiba mais aqui.
  • Todas as estações possuem bilheterias. Se você não tiver Bilhete Único, pode comprar o bilhete diretamente na estação.
  • O metrô é um lugar que pode ser considerado seguro, mas um pouco de cuidado extra nunca é demais. Fique atento com os seus pertences e não largue a mão das crianças pequenas. Sempre fique atrás da linha amarela e auxilie as crianças ao entrar no trem, tomando cuidado com o vão entre o trem e a plataforma.
  • Consulte o horário de funcionamento das estações e evite surpresas, principalmente se estiver planejando pegar o metrô muito cedo ou tarde da noite.
  • Se for pegar ônibus e não souber qual, consulte o site da SPTRANS (que tem um serviço de busca de linhas por trajeto) ou o Google Maps (opção transporte público). Uma conversinha com os locais (tipo o recepcionista do hotel) para saber qual a melhor opção de ônibus/metrô também ajuda.

Uber/Táxi

O Uber funciona super bem em São Paulo. Há muitos motoristas cadastrados e muitas vantagens. Uma delas é que você não precisa andar com dinheiro. Outra é o fato de ter uma estimativa do valor da corrida, antes mesmo de chamar o motorista. E uma coisa que considero super importante para quem não conhece a cidade é a garantia de que o motorista não vai ficar “rodando” e fazendo voltas para aumentar o valor da corrida, já que você pode acompanhar pelo próprio aplicativo o caminho correto para o seu destino.

Em São Paulo, temos UberX (o que eu mais uso, com carros “normais” e não compartilhados), UberPool (com carro compartilhado com outros passageiros),  UberBlack (a modalidade mais cara de Uber, com carros de luxo) e UberSelect (uma modalidade intermediária entre o X e o Black).

Se estiver na fase de planejamento da sua viagem, você pode fazer o cálculo da estimativa dos valores dos seus deslocamentos no site da Uber: https://www.uber.com/pt-BR/cities/sao-paulo/ .

Outra opção são os táxis convencionais. São Paulo conta com uma grande disponibilidade de táxis e o serviço aqui costuma ser muito bom. Há aplicativos como o 99Táxis e o EasyTaxi.

Provavelmente o Uber ficará mais em conta que o táxi, daí cabe a você decidir qual prefere.

Para quem viaja com crianças, acho o Uber uma mão na roda. Dá para contar com um bom serviço, com conforto, conveniência, praticidade e preço acessível. Para famílias, muitas vezes compensa o Uber ao invés do próprio transporte público.

A pé / de bike

Muitos lugares da cidade serão melhor explorados e curtidos a pé ou de bicicleta. Para famílias mais chegadas atléticas (rsrsrsrs), chegadas em atividades físicas, um passeio de bicicleta pela cidade pode ser uma delícia e gerar momentos inesquecíveis.

A cidade conta com muitas ciclofaixas, ciclorrotas, ciclovias e ciclofaixas de lazer (entenda a diferença entre elas).

  • O Projeto Bike Sampa, da Prefeitura de São Paulo em parceria com o Banco Itaú, oferece bicicletas gratuitas (e aluguel) em pontos estratégicos da cidade. A bike sai de graça por um período de até 60 minutos. Você pode usar gratuitamente várias vezes ao dia, desde que haja um intervalo de pelo menos 15 minutos entre as viagens. Viagens com duração de mais de uma hora são tarifadas pelo valor de R$ 5,00 por hora.
Bicicletas do projeto Bike Sampa. Foto: Elisa Rodrigues – Secretaria de Transportes da Cidade de São Paulo

No aplicativo Bike Sampa, no site e no telefone 40036055, o usuário pode consultar as bicicletas disponíveis e as vagas para devolução.

Para usar as bikes é necessário efetuar um cadastro e o pagamento pode ser feito com o seu Bilhete Único. Saiba mais aqui: https://bikesampa.tembici.com.br/ .

Para quem está com crianças pequenas, um fator complicador pode ser o fato de as bicicletas não terem cadeirinha. Neste caso, se quiser fazer passeios de bike, pode valer a pena alugar uma.

  • Uma opção similar ao Bike Sampa é o Projeto Ciclo Sampa, parceria entre a Prefeitura e o Bradesco. Só que neste caso, só os primeiros 30 minutos são gratuitos. Saiba mais aqui: http://www.ciclosampa.com.br/index.php .
  • Nos parques Villa-Lobos e Ibirapuera é possível alugar bikes com cadeirinha para crianças.
Passeio de bike no Parque Villa-Lobos
  • Saiba mais sobre bike em São Paulo, roteiros de bike e dicas de segurança no link: http://www.cidadedesaopaulo.com/spdebike/index-desktop/ .
  • O projeto BikeTourSP oferece passeios culturais gratuitos (eles pedem a doação de 2kg de alimento não perecível) e guiados pela cidade de São Paulo. São vários passeios diferentes disponíveis na cidade e o pessoal oferece a bike, cadeirinha e capacete. É necessário fazer inscrição no site https://www.eventbrite.com.br/o/bike-tour-sp-8505300239 . A rota da Vila Madalena, que conta com muitas subidas, é feita com bikes elétricas. Nós já fizemos esse tour e curtimos muito. Nunca tínhamos pedalado uma bicicleta elétrica antes. Foi uma experiência muito gostosa. Para quem não sabe pedalar, o roteiro da Avenida Paulista conta com Triciclo Família. No passeio da Avenida Paulista também há uma bike especial adaptada para pessoas com mobilidade reduzida.
Passeio BikeTour SP – Vila Madalena – Beco do Batman
Passeio BikeTour SP – Vila Madalena

Nova York com bebê de um ano (parte 4): Go Yankees!

Estou curtindo muito escrever o relato sobre a nossa ida a Nova York. Cada detalhe que eu lembro desperta em mim um desejo quase incontrolável de voltar para lá hoje mesmo. =)

Nesse post, vamos falar sobre a nossa experiência de assistir a um jogo de baseball no Yankee Stadium.

Yankee Stadium. Créditos: Groupe Canam. Licença http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/

 

Para ver os três primeiros posts sobre Nova York, clique aqui: parte 1, parte 2, parte 3.

Yankee Stadium – jogo de baseball

Tá aqui uma coisa que a gente curte fazer nos Estados Unidos: assistir a alguma partida esportiva.

Os americanos são apaixonados por esportes e costumam torcer pelos times locais como muita paixão e entusiasmo. Os estádios são lindos, bem cuidados e organizados. A estrutura costuma ser sensacional. E o evento em si é um verdadeiro espetáculo (brincadeiras com a plateia, sorteio de brindes, câmera do beijo, homenagens aos veteranos de guerra, músicas da torcida). Telões gigantes de alta definição mostram detalhes da partida e imagens da torcida e das jogadas. É um programa tão bacana, que até quem não gosta de esportes deve gostar da experiência. Se esse é o seu caso, dê uma chance a essa atividade e assista algum jogo em alguma cidade americana (de preferência algum dos esportes favoritos americanos – baseball, futebol americano, hockey ou basquete).

Yankee Stadium
Yankee Stadium

 

Área externa do Yankee Stadium – Baby Ruth Plaza

No nosso caso, gostamos muito de esportes. A ESPN é um dos canais mais assistidos na TV lá em casa, principalmente pelo maridão. Então, quando sempre que decidimos viajar, uma das primeiras coisas que faço é ver qual temporada está rolando e qual jogo podemos aproveitar para assistir no estádio. Para isso, vejo o site oficial do time da cidade. No caso, estávamos em Nova York no mês de maio e estava rolando a temporada de baseball. Obaaaa!!! Quer programa melhor que assistir a um jogo dos NY Yankees?

No site há um calendário bem organizado dos jogos da temporada com links direto para o site de venda de ingresso. No caso dos Yankees, o Ticketmaster. Vimos que os Yankees jogariam em casa contra os Oakland Athletics. Compramos por US$ 81,40 o par de ingressos. Crianças de até três anos, com menos de 76,2 centímetros (30 inches) não pagam, desde que sentem no colo de um adulto.

Estádio lotado
Oakland Athletics
NY Yankees
Go Yankees!

Dica: quanto maior a antecedência para a compra do ingresso, melhor, pois os preços vão subindo conforme a data vai se aproximando. Ah! Nunca testamos deixar para comprar na porta com as pessoas que fazer revenda, pois nunca quisemos arriscar pagar muito mais caro ou a possibilidade de os ingressos já terem se esgotado. Se alguém tiver alguma experiência com compra de ingressos lá na hora e quiser compartilhar, sua participação será muito bem vinda.

Sentamos na Section 420A, Row 7 (fila), Seats 23 e 24 (cadeiras) e tivemos essa vista do estádio:

Yankee Stadium, 420A, Row 7, Seats 23 e 24

 

Yankee Stadium, 420A, Row 7, Seats 23 e 24

Existiam outros ingressos muito mais caros e outros um pouco mais baratos, mas achamos que pagamos um preço razoável (sim, os ingressos costumam ser caros) para uma localização que consideramos muito boa. Ficamos por trás da primeira base, de frente para um telão imenso, na sombra. Essa coisa da sombra é uma faca de dois gumes. Por um momento, por causa do frio que estava fazendo no estádio, desejamos imensamente estar sentados no sol. Por outro lado, sentar ali nos garantia abrigo no caso de uma eventual chuva. No final, fez um dia lindo e ensolarado e deu para curtir bem, porém, fica a dica: sigam com roupas bem preparadas para o frio, mesmo que esteja com cara de lindo dia de primavera.

Fomos até o estádio, que fica no Bronx, de metrô. A linha 4 tem uma estação chamada Yankee Stadium, que para ali pertinho. O metrô certamente estará cheio de torcedores do Yankees e é só seguir o fluxo de pessoas para chegar até lá.

Bela no Yankee Stadium

No estádio, não fugimos à tradição e fomos de hot dog com cerveja. Para a Bela, chocolate quente. Também levei umas bolachinhas de bebê, smoothies, suquinhos e iogurtes na mochila. A comidinha dela entrou no estádio, sem problema. Ninguém nem questionou.

Nessa época a Bela ainda mamava no peito. Nos Estados Unidos, sempre procuramos ser discretos quanto à amamentação, pois, culturalmente, os americanos não estão tão acostumados a ver um bebê mamando no peito (infelizmente). Daí discretamente, cobrindo com um paninho a Bela deu umas bebericadas tranquilamente. Ninguém nem percebeu.

Família pronta para o jogo
Torcedora Bela

Também dá para levar o carrinho para o Yankee Stadium, mas quando chegar ao seu assento, é preciso dobrá-lo e deixar guardadinho em um canto (os seguranças orientam direitinho).

Antes de ir, consultei o SAC dos Yankees sobre o carrinho, pois aqui em São Paulo não pode entrar nos estádios com ele. Conversei com um funcionário de lá pelo chat do site. Foi super rápido e o atendente foi muito solícito e simpático. Falou que nós adoraríamos o jogo, que ia ser uma experiência muito bacana para brasileiros, explicou que muita gente leva bebês pequeninos, se colocou à nossa disposição e ainda encerrou com um “Go Yankees!”.

Olha o balão que a Bela ganhou da funcionária do estádio!
Go Yankees!

Achei o atendimento pré-jogo muito bom e não pude deixar de lembrar do dia em que precisei saber se poderia entrar no Estádio do Morumbi com carrinho e ninguém sabia informar direito. Me transferiram da bilheteria para a administração, da administração para algum fulano que estava organizando a partida, depois me deram o telefone da Polícia Militar e disseram que eles que sabem responder, pois eles que fazem a revista na entrada do estádio. Liguei para a polícia e fui transferida para um monte de gente até finalmente descobrir que não, não pode levar o carrinho para o Morumbi.

Durante o jogo, a Bela se comportou como uma lady. Revezou o meu colo com o do pai, dormiu, torceu, comeu, assistiu o jogo e a torcida, distribuiu simpatia.

A Bela dormiu!

No estádio, uma ótima estrutura e muitas lojas com produtos do time. Gustavo comprou um jersey que eles personalizaram na hora com o sobrenome dele, compramos bonés para ele e para a Bela e eu comprei uma camiseta. Muita gente simpática cruzou o nosso caminho. Uma senhora deu para a Bela um anel dos Yankees e uma outra deu a ela um balão prateado em formato de estrela, inflado com gás hélio.

Uma partida de baseball costuma ser longa. É um programa para um turno inteiro. Depois do jogo, comemos no Hard Rock Café do próprio estádio. No Hard Rock, aquele atendimento que tanto apreciamos nos restaurantes tipicamente americanos. Oferecem cadeirão para as crianças, giz de cera e papel para colorir, menu infantil, banheiro com trocador, hambúrgueres de primeira, refrigerante com refil e porções bem servidas… Tudo o que uma família viajante precisa.

Hard Rock Cafe Yankee Stadium

Para quem ficou interessado, os outros times de Nova York são:

New York Yankees e New York Mets (baseball)

New York Giants e New York Jets (futebol americano)

New York Rangers, New York Islanders e New Jersey Devils (hockey no gelo)

New York Knicks e Brooklyn Nets (basquete)

Nossa conclusão é que é um programa que vale muito a pena. É muito tranquilo para ir com criança e é bom que dá uma quebrada naquela coisa de ficar batendo perna pela cidade.