O que fazer em Seattle: dicas de passeios para curtir a cidade em 3 ou 4 dias

Pelo post anterior, já deu para vocês verem o quanto gostamos de Seattle. Nesse post, vamos dar dicas de passeios para fazer pela cidade.

Dividi os passeios em três partes: Seattle Waterfront, Seattle Center e outros passeios. Assim, facilita o planejamento do roteiro de vocês. Vale lembrar aqui que essas atrações ficam localizadas a uma pequena distância umas das outras, então dá para agrupá-las, fazendo um dia as que ficam na orla e no outro as que ficam no Seattle Center, por exemplo.

 

SEATTLE WATERFRONT

A orla de Seattle é uma graça e é uma delícia caminhar por ela. Os píeres ficam próximos uns dos outros e os principais atrativos ficam concentrados a uma pequena distância uns dos outros.

Há muitos bons restaurantes de frutos do mar, onde se pode provar caranguejos gigantes, lagostas, camarões e uma boa clam chowder (um tipo de creme/sopa de mariscos, bem tradicional nos Estados Unidos).

Orla de Seattle à noite

Muitos dos atrativos turísticos de Seattle ficam na Waterfront (orla). O aquário (Seattle Aquarium), a roda gigante (Seattle Great Wheel), os passeios de barco Argosy Cruises, o mercado público (Pike Place Market)…

Orla de Seattle à noite

Para visitar essa região, conseguimos estacionar o motorhome bem em frente ao aquário, na Alaskan Way, altura do número 1510. Lá tem um estacionamento coberto com elevadores para o Pike Place Market, mas deixamos na parte aberta (por causa da altura do motorhome), embaixo do viaduto. Paramos o estacionamento pelo aplicativo que é baixado no site paybyphone.com.

Seattle Aquarium

O Aquário de Seattle não é enorme como outros aquários americanos mais famosos, mas tem muitos atrativos para crianças. Possui uma boa variedade de espécies e uma área interativa bem bacana, onde as crianças podem tocar em alguns invertebrados como estrelas, ouriços, anêmonas e pepinos do mar.

Entrada do Seattle Aquarium
Entrada do Seattle Aquarium

Uma coisa bacana é que o aquário foca bastante na educação ambiental e nos ecossistemas de Puget Sound, o enorme estuário onde a cidade de Seattle está localizada, o que torna o passeio uma boa oportunidade para conhecer melhor a natureza daquela região.

Seattle Aquarium
Seattle Aquarium

Além dos animais aquáticos, aves e mamíferos (focas e lontras) também fazem parte da exposição e encantam os pequenos.

Seattle Aquarium
Seattle Aquarium

O ingresso para visitar o Seattle Aquarium está incluído no Seattle CityPASS.

O Felipe e a Isabela amam aquários e ficaram super empolgados durante a visita. Nos vídeos que gravamos, é possível ouvir por diversas vezes os gritinhos do Felipe, que se empolgava bastante em cada sessão. Difícil era conseguir tirar ele de um ponto para levar para outro.

Seattle Aquarium
Seattle Aquarium
Seattle Aquarium
Seattle Aquarium
Seattle Aquarium
Seattle Aquarium
Seattle Aquarium
Seattle Aquarium
Seattle Aquarium
Seattle Aquarium
Seattle Aquarium
Seattle Aquarium
Seattle Aquarium
Seattle Aquarium

 

Seattle Great Wheel

A icônica roda gigante de Seattle fica no píer 57, bem ao lado do Aquário. O ingresso dá direito a três voltas completas na roda, o que deve levar em torno de 15 a 20 minutos. A vista que se tem de lá é linda! Fomos perto do pôr-do-sol e valeu super a pena.

Seattle Great Wheel
Seattle Great Wheel
Seattle Great Wheel
Seattle Great Wheel
Seattle Great Wheel
Seattle Great Wheel
Vista do alto da Seattle Great Wheel
Vista do alto da Seattle Great Wheel

Pike Place Market

O Pike Place Market é um mercado público que foi inaugurado em 1907. Atualmente é um dos mais antigos Farmer’s Markets em funcionamento nos Estados Unidos. Ele é super charmoso e tem muitas lojas de lembranças e artesanato, restaurantes pequenos e familiares e diversas lojas onde produtores e pescadores locais vendem seus produtos. Só pelo colorido das flores, frutas e legumes, já valeria a visita. Mas some-se a isso os homens lançando peixes uns para os outros nas peixarias, temos um espetáculo.

Cores do Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market
Pike Place Market

É no mercado que fica a primeira Starbucks, um dos pontos turísticos de Seattle.

Do alto do mercado, tem-se uma linda vista da Elliott Bay e da orla de Seattle.

Argosy Cruises

A Argosy Cruises é uma empresa que oferece diferentes tipos de passeios de barco pela cidade de Seattle. O Harbour Cruise, que é um passeio de uma hora de duração onde se pode ter vistas panorâmicas da skyline de Seattle e do estuário Puget Sound, está incluído no Seattle CityPASS.

O passeio é guiado. Nele dá para conhecer um pouco mais sobre a história de Seattle e se impressionar com as belezas da Elliott Bay e das cadeias de montanha que circundam Seattle (Olympic e Cascade).

Infelizmente nós não conseguimos fazer esse passeio de barco, pois como alguns sabem, o Felipe teve um probleminha de saúde nessa viagem, o que acabou atrasando um pouco a nossa programação. No entanto, conhecemos inúmeras pessoas que fizeram e recomendam este passeio.

Para conhecer todos os passeios que a Argosy Cruises oferece, clique aqui.

Jogo dos Seattle Seahawks ou dos Seattle Mariners

A pouco mais de 20 minutos de caminhada do Aquário, ficam os estádios de futebol americano (CenturyLink Field) e de baseball (Safeco Field) de Seattle. Quem nos acompanha aqui no blog sabe bem o quanto curtimos assistir a alguma partida esportiva  (seja futebol americano, basquete, baseball ou hockey) quando estamos nos Estados Unidos.  Já vimos jogos dos New York Yankees, Boston Red Sox, Chicago Cubs, Anaheim Ducks, Los Angeles Lakers, Green Bay Packers… Claro que não podíamos perder a oportunidade de conhecer o estádio que é conhecido por ser o mais barulhento da NFL, o CenturyLink Field, casa dos Seattle Seahawks.

Jogo dos Seattle Seahawks
Jogo dos Seattle Seahawks
Jogo dos Seattle Seahawks
Jogo dos Seattle Seahawks
Jogo dos Seattle Seahawks
Jogo dos Seattle Seahawks
Comendo hotdog no jogo dos Seattle Seahawks
Comendo hotdog no jogo dos Seattle Seahawks
Torcendo muito no jogo dos Seattle Seahawks
Torcendo muito no jogo dos Seattle Seahawks

É uma experiência que, sem sombra de dúvida, vale muito a pena. Vimos os Seahawks ganharem lindamente dos Indianapolis Colts de 46 a 18. Daquelas experiências para guardar pra sempre na memória…

SEATTLE CENTER

Construído para a Expo 62, também conhecida como Century 21 Exposition, o Seattle Center é um complexo de lazer que reúne atrativos relacionados a arte, cultura, educação, turismo e entretenimento. O atrativo mais famoso do lugar é a própria Space Needle, que deve ser atualmente o mais famoso atrativo da cidade.

Seattle Center
Seattle Center

O monotrilho de Seattle (Seattle Center Monorail) foi construído para conectar o Seattle Center à região de downtown. Hoje ele é  um dos marcos históricos da cidade.

Seattle Center
Seattle Center

No Seattle Center ficam vários atrativos importantes da cidade, além da Space Needle: o Chihuly Garden and Glass, o Museum of Pop Culture, o Seattle Chindren’s Museum, o Pacific Science Center, entre outros.

Seattle Center
Seattle Center
Comendo hotdog no Seattle Center
Comendo hotdog no Seattle Center

Space Needle

Talvez a Space Needle seja um dos cartões postais mais caricatos de Seattle. Pelo menos, sempre que eu pensava em Seattle, pensava imediatamente nela. Aquela torre enorme com uma espécie de espaçonave no topo.

Na fila para o elevador, uma exposição interativa apresenta curiosidades sobre a Space Needle
Na fila para o elevador, uma exposição interativa apresenta curiosidades sobre a Space Needle
O Museum of Pop Culture, com a Space Needle ao fundo
O Museum of Pop Culture, com a Space Needle ao fundo
Vista do alto da Space Needle
Vista do alto da Space Needle

A subida até o topo da Space Needle é um passeio indicado para quem deseja ter uma vista panorâmica de toda a cidade de Seattle e arredores. De preferência, faça a subida em um dia de céu azul, para tirar o máximo proveito do visual dessa cidade linda!

Vista do alto da Space Needle
Vista do alto da Space Needle

O ingresso para subir na Space Needle está incluído no Seattle CityPASS, mas atenção: é necessário agendar o horário da subida lá na recepção da Space Needle!

A Bela ama esses telescópios onde colocamos uma moedinha para ver melhor a paisagem
A Bela ama esses telescópios onde colocamos uma moedinha para ver melhor a paisagem

Museum of Pop Culture (antes conhecido como Experience Music Project Museum)

O Museum of Pop Culture é super legal por dentro e por fora.

Por fora, aquela construção moderna, colorida, projetada por Frank Gehry,  que chama a atenção e se destaca na paisagem. Por dentro, tudo para deixar os fãs da cultura Pop de queixo caído. Cinema, música, esporte, videogame… Muitas exposições interativas, objetos que pertenceram a grandes ídolos da música e do cinema, artefatos que estiveram em filmes que marcaram nossas vidas…

Museum of Pop Culture
Museum of Pop Culture

Na área da música, as crianças se divertem aprendendo a tocar diversos tipos de instrumentos musicais. Tem até salas para as pessoas tocarem juntas. Tudo feito de forma lúdica e interativa. A Bela pirou e não queria mais sair das salinhas da bateria e da guitarra.

Skates do filme De volta para o futuro, no Museum of Pop Culture
Skates do filme De volta para o futuro, no Museum of Pop Culture

O ingresso para conhecer o Museum of Pop Culture está incluído no Seattle CityPASS.

Do filme Tropas Estrelares
Do filme Tropas Estrelares

Como é um passeio 100% coberto, o museu é uma ótima opção de passeio para quando está chovendo na cidade. Foi o que fizemos no único dia que amanheceu meio “feio” em Seattle. Visitamos o Museu do Pop e o Chihuly Garden and Glass.

Museum of Pop Culture
Museum of Pop Culture
Museum of Pop Culture
Museum of Pop Culture
Museum of Pop Culture
Museum of Pop Culture
Museum of Pop Culture
Museum of Pop Culture
Museum of Pop Culture
Museum of Pop Culture
Museum of Pop Culture
Museum of Pop Culture

Bem ao lado do museu, o Artists At Play, um playground gratuito com pegada bem artística encanta a criançada e deve ser um dos playgrounds mais bacanas que já vimos nos Estados Unidos. E olha que já fomos em muitos playgrounds incríveis por lá! Vale super a pena investir um tempo de qualidade em família nesse playground.

Playground em frente ao museu do pop
Playground em frente ao museu do pop
Playground em frente ao museu do pop
Playground em frente ao museu do pop
Playground em frente ao museu do pop
Playground em frente ao museu do pop

Chihuly Garden and Glass

O Chihuly Garden and Glass foi um programa que me surpreendeu de forma muito positiva na cidade Seattle. A exposição reúne obras do artista Dale Chihuly, nascido em Tacoma, região metropolitana de Seattle.

Chihuly Garden and Glass
Chihuly Garden and Glass

Chihuly é escultor de vidros e seu trabalho incrível me emocionou bastante. Não sei dizer o que aconteceu, mas o lugar me tocou de verdade e confesso que cheguei a chorar quando entrei no primeiro salão. Curtimos muito a exposição e a forma como ele mescla de forma tão harmoniosa o jardim de vidro ao jardim natural. O trabalho é belíssimo e muito original. Achei que valeu super a pena termos visitado.

Chihuly Garden and Glass
Chihuly Garden and Glass
Chihuly Garden and Glass
Chihuly Garden and Glass
Chihuly Garden and Glass
Chihuly Garden and Glass
Chihuly Garden and Glass
Chihuly Garden and Glass

O ingresso para conhecer a exposição está incluído no Seattle CityPASS. É uma boa opção de programa para dias mais chuvosos, embora uma parte da exposição esteja localizada em um jardim que fica na área externa.

Ride the Ducks of Seattle

Quando estiver batendo perna pela cidade de Seattle, sem dúvida você cruzará em algum momento com os “ducks” levando turistas para conhecerem a cidade em um citytour muito divertido. Os ducks são adaptações de veículos anfíbios que eram usados na Segunda Guerra Mundial (os DUKWs), o que significa que são veículos que transitam na terra e na água. E se é assim, o tour dos ducks inclui um passeio pela cidade e um pequeno cruzeiro pelo Lake Union.

Em frente a um dos Ducks of Seattle
Prontos para o passeio no duck. Observem o apito que faz som de pato pendurado no pescoço da Isabela
No Lake Union
No Lake Union

 

O grande diferencial desse tour é mesmo a diversão. Os guias são engraçadíssimos e os passeios têm até trilha sonora, “torcida organizada”, apitos que fazem som de pato… É muito animado e as crianças curtem bastante!

Todo mundo se diverte no duck
Nosso Duck dentro do Lake Union
A Isabela curtindo a vista no Lake Union

Como o passeio é guiado em inglês, eu diria que ele é bem melhor aproveitado por quem entende bem o idioma. Quem não fala inglês, vai perder boa parte da diversão, pois a narração do passeio é quase uma espécie de set de stand-up comedy. O nosso guia, o Capitão Chance O’Rayne (trocadilho com Risco de Chuva, já que estamos em Seattle)  era super talentoso, estudou artes cênicas na faculdade e é garantia de muitas risadas.

Nosso capitão Chance
Nosso capitão Chance

É bem interessante o momento em que o Duck sai da rua e entra na água. As crianças curtem bastante a ideia de um “carro que sabe nadar”.

Barco com uma banheira, no Lake Union
Barco com uma banheira, no Lake Union

Sem dúvida, curtimos muito o passeio Ride the Ducks of Seattle. Uma forma bem diferente e excêntrica de conhecer mais sobre a história, a atualidade e os pontos turísticos da cidade. Os passeios partem de um ponto super conveniente, bem ao lado do Seattle Center.

Ponto de onde saem os Duck Tours
O passeio é super recomendado.
O passeio é super recomendado.

OUTROS PASSEIOS

Além dos passeios que mencionamos nesse post, as pessoas falam muito bem do Museum of Flight, da Seattle Public Library e do Pacific Science Center, que ficaram para uma próxima visita nossa à cidade.

No entorno de Seattle, dois passeios que valem à pena são o das Snoqualmie Falls, sobre o qual já falamos nesse post: http://pezinhonaestrada.com/2018/06/11/roadtrip-na-i-90-onde-parar-na-estrada-de-idaho-washington-state-caminho-de-seattle/ e o Mount Ranier, que não chegamos a conhecer, mas que está cheinho de relatos interessantes de blogs pelo Google.

Seattle CityPASS

Seattle é uma das cidades americanas que conta com o passe CityPASS. Com o Seattle CityPASS, você tem o direito de visitar 5 atrações da cidade, economizando até 50% no que gastaria no valor total dos ingressos comprados separadamente. O Seattle CityPASS custa atualmente (agosto de 2018) 89 dólares para adultos (pessoas a partir de 13 anos) e 69 dólares para crianças de 5 a 12 anos. Se o seu filho tem menos de 5 anos, a entrada em algumas das atrações incluídas no passe é gratuita e em outras é paga, se acordo com a faixa etária (saiba mais aqui).

As atrações que estão incluídas no Seattle CityPASS são:
1 – Space Needle
2 – Seattle Aquarium
3 – Argosy Cruises Harbor Tour
4 – Museum of Pop Culture (MoPOP) OU Woodland Park Zoo
5 – Chihuly Garden and Glass OU Pacific Science Center

COMPRAS

Como toda boa cidade americana, Seattle também é um bom local para fazer compras. Dentro da cidade e/ou em seu entorno, conta com as lojas favoritas dos brasileiros, como Target, TJMaxx, Dollar Tree, Walmart e outlets próximos à cidade. No dia do jogo dos Seahawks, nós fomos ao The Outlet Collection Seattle e achamos bem bacana. Eles também têm um outlet da famosa rede Premium o Seattle Premium Outlets.

 

No próximo post vamos falar como fizemos para sair dos Estados Unidos e voltar para o Canadá de ferryboat, partindo de Seattle.

___________________________________________________________________________

Agradecemos aos parceiros do blog em Seattle:

Visit Seattle Seattle CityPASS por terem gentilmente cedido os Seattle para a nossa família.

Ride the Ducks of Seattle por terem gentilmente oferecido tours de cortesia para a nossa família.

___________________________________________________________________________

Nesta aventura, nós ficamos o tempo todo conectados na internet porque usamos o chip Easysim4u, que tem internet ilimitada nos Estados Unidos, Canadá e mais de 140 outros países. O chip é enviado para a sua residência no Brasil antes da viagem e, quando você chega ao destino, basta colocar o chip no celular e começar a usar. Você já sai do aeroporto conectado e usando o Waze e a internet à vontade.

Agradecemos pela gentileza da Easysim4u, parceira da RBBV, por ter nos enviado como cortesia o chip e o plano (USA + Canadá) para que pudéssemos permanecer conectados, compartilhando todos os momentos desta roadtrip com os leitores do  nosso blog.

___________________________________________________________________________

Usou alguma dica do nosso blog? Conta como foi! Gostamos muito de receber o retorno dos nossos leitores. Ficamos felizes quando sabemos que nossas dicas foram úteis nas viagens de outras famílias!

___________________________________________________________________________

Siga o Pezinho na Estrada nas redes sociais: Facebook Instagram.

___________________________________________________________________________

Já reservou o seu hotel? Nós somos parceiros do Booking. Quando você faz a sua reserva usando o nosso link, nós ganhamos uma pequena comissão que nos ajuda na manutenção do blog e você não paga nada a mais por isso.
Booking.com

 

 

Bayside Marketplace: compras, restaurantes e lazer com vista para a Biscayne Bay (Miami)

Um programa gostoso de fazer em Miami Downtown é um passeio pelo Bayside Marketplace, uma espécie de shopping outdoor cheio de charme e localizado em frente à Biscayne Bay (a vista para a baía é linda).

Bayside Marketplace. Créditos: Averette, http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/
Daqui saem vários passeios de barco

O Bayside, que vive lotado de turistas, tem diversas opções de lojas, restaurantes e cafés. De lá saem diversos passeios de barco e sightseeing tours. À noite tem shows com música ao vivo.

Vista do Bayside Marketplace e Miami Downtown à noite. Créditos: Xynn Tii – https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/2.0/ – https://www.flickr.com/photos/xynntii
Bayside lotado de turistas

Como chegamos a Miami cedinho, nosso apartamento ainda não estava liberado para check-in. Aproveitamos para resolver as primeiras questões de logística (compra do chip americano para o celular, troca da cadeirinha veicular da locadora pela nossa própria, compra de comes e bebes – do jeitinho que relatamos no post anterior). Quando acabamos de resolver tudo, já estava na hora do almoço.

Ainda estávamos com o carro carregado de bagagens, cansados da viagem, vestindo as mesmas roupas que usamos quando saímos de São Paulo no dia anterior. Mas era preciso esperar o apartamento ficar pronto, então paciência…

Assim, partimos para almoçar. Lembrei que precisávamos ir a algum lugar onde pudéssemos estacionar com alguma segurança, já que as nossas malas estavam no carro. Quando comentei isso, eu e o meu marido falamos ao mesmo tempo: “Bayside Marketplace!”. Bem, na verdade, ele falou “Aquele shopping que fica em frente ao mar e que tem um Hard Rock Cafe”, o que no fundo é a mesma coisa, certo? Estávamos em sintonia, então partimos para lá.

Vale destacar que não faço a mínima ideia de se o lugar é seguro para estacionar com bagagem no carro. Só pensamos que como o estacionamento é pago, fechado e fica em um lugar bastante movimentado, o risco de termos as malas roubadas seria ligeiramente menor. Então arriscamos e, quando voltamos, ainda estava tudo lá. Graças a Deus! [UPDATE: Parece que nem lá o estacionamento é seguro para quem está com compras no carro. Vejam nos comentários desse post o depoimento de uma pessoa que teve o carro arrombado nesse estacionamento. Que triste isso, gente! Esse tipo de ocorrência, infelizmente, tem se tornado cada vez mais frequente na Flórida].

Embora Miami tenha outras opções melhores para compras, como é o caso dos outlets, o Bayside tem boas lojas e os preços não são ruins. Se estiver rolando alguma liquidação, pode-se encontrar preços semelhantes aos dos outlets. Entre as lojas, algumas das favoritas dos turistas brasileiros, como Gap (Baby, Kids e adulto), Claire’s (os acessórios de lá são super fofos), Crocs, Disney Store (quando fomos nessa última viagem estava quase tudo em promoção e fizemos umas comprinhas por lá), Foot Locker (de artigos esportivos), Gamestop (o paraíso para quem curte videogame – marido faz a festa!), Guess, Sunglass Hut, Victoria’s Secret, entre outras. Lá também tem muitas lojinhas de souvenir e presentinhos em geral.

Bela colorindo na Disney Store
Fez questão de carregar ela mesma as comprinhas da Disney Store

Para ver a lista completa das lojas do Bayside Marketplace, clique aqui .

No quesito alimentação, o Bayside Market tem muitas boas opções de restaurantes, cafés, bares e sorveterias. Hard Rock Cafe, Hooters, Bubba Gump Shrimp Co. (vamos falar sobre ele no próximo post) e os bem avaliados no TripAdvisor, mas que ainda não testamos: Los Ranchos Stakehouse, Five Guys Burger (falam que hambúrguer de lá é divino) e Let’s Make a Daikiri (bar).

Para ver a lista completa dos restaurantes do Bayside Marketplace, clique aqui.

Os horários de funcionamento do Bayside são: de segunda a quinta, das 10h às 22h; sexta e sábado, das 10h às 23h; domingo, das 10 às 21h.

Daqui saem os passeios de barco
Acho que a Bela quer sorvete
Frente do Bayside Marketplace. Créditos: http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/

Para chegar lá, digite no GPS: 401, Biscayne Boulevard. Quando chegar em frente ao shopping, siga as placas “Parking” ou “Parking Garage” (estacionamento). O estacionamento é pago e varia de acordo com o tempo que você passar lá. Para saber os valores, clique aqui. Você pode pagar o estacionamento em um dos terminais de autoatendimento situados entre o estacionamento e o shopping.

Para quem vai com crianças, é super tranquilo passear com carrinho, há banheiros com trocadores e restaurantes kid-friendly. Eles também oferecem o serviço de aluguel de cadeira de rodas e há um centro de informações ao visitante.

Bônus: American Airlines Arena

O shopping fica bem ao lado da American Airlines Arena, ginásio onde joga o time da NBA, Miami Heat, e onde há muitos shows musicais. Uma boa ideia de programa é casar passeio no Bayside + comidinha gostosa em algum restaurante de lá + jogo de basquete do Miami Heat. Sucesso garantido!

American Airlines Arena. Créditos: Edgar Serrano – http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/
Jogo do Miami Heat. Créditos: Melanie Applegate – https://creativecommons.org/licenses/by-nd/2.0/ – https://www.flickr.com/photos/melanietippsphotography/

Frequentar eventos esportivos é um dos nossos programas favoritos nos Estados Unidos. Eles transformam as partidas em verdadeiros espetáculos. Achamos que vale muito à pena viver essa experiência. Quem acompanha o blog, sabe que já assistimos jogos dos New York Yankees, Anaheim Ducks e Los Angeles Lakers.

É um programa divertido e super tranquilo para fazer com crianças. Uma dica importante é: lembre de comprar os ingressos com antecedência. Para saber mais, leia: http://pezinhonaestrada.com/2014/10/14/los-angeles-anaheim-e-arredores-da-capital-mundial-do-cinema-ao-berco-da-disney/ e http://pezinhonaestrada.com/2014/08/05/nova-york-com-bebe-de-um-ano-parte-4-go-yankees/ .

Nova York com bebê de um ano (parte 4): Go Yankees!

Estou curtindo muito escrever o relato sobre a nossa ida a Nova York. Cada detalhe que eu lembro desperta em mim um desejo quase incontrolável de voltar para lá hoje mesmo. =)

Nesse post, vamos falar sobre a nossa experiência de assistir a um jogo de baseball no Yankee Stadium.

Yankee Stadium. Créditos: Groupe Canam. Licença http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/

 

Para ver os três primeiros posts sobre Nova York, clique aqui: parte 1, parte 2, parte 3.

Yankee Stadium – jogo de baseball

Tá aqui uma coisa que a gente curte fazer nos Estados Unidos: assistir a alguma partida esportiva.

Os americanos são apaixonados por esportes e costumam torcer pelos times locais como muita paixão e entusiasmo. Os estádios são lindos, bem cuidados e organizados. A estrutura costuma ser sensacional. E o evento em si é um verdadeiro espetáculo (brincadeiras com a plateia, sorteio de brindes, câmera do beijo, homenagens aos veteranos de guerra, músicas da torcida). Telões gigantes de alta definição mostram detalhes da partida e imagens da torcida e das jogadas. É um programa tão bacana, que até quem não gosta de esportes deve gostar da experiência. Se esse é o seu caso, dê uma chance a essa atividade e assista algum jogo em alguma cidade americana (de preferência algum dos esportes favoritos americanos – baseball, futebol americano, hockey ou basquete).

Yankee Stadium
Yankee Stadium

 

Área externa do Yankee Stadium – Baby Ruth Plaza

No nosso caso, gostamos muito de esportes. A ESPN é um dos canais mais assistidos na TV lá em casa, principalmente pelo maridão. Então, quando sempre que decidimos viajar, uma das primeiras coisas que faço é ver qual temporada está rolando e qual jogo podemos aproveitar para assistir no estádio. Para isso, vejo o site oficial do time da cidade. No caso, estávamos em Nova York no mês de maio e estava rolando a temporada de baseball. Obaaaa!!! Quer programa melhor que assistir a um jogo dos NY Yankees?

No site há um calendário bem organizado dos jogos da temporada com links direto para o site de venda de ingresso. No caso dos Yankees, o Ticketmaster. Vimos que os Yankees jogariam em casa contra os Oakland Athletics. Compramos por US$ 81,40 o par de ingressos. Crianças de até três anos, com menos de 76,2 centímetros (30 inches) não pagam, desde que sentem no colo de um adulto.

Estádio lotado
Oakland Athletics
NY Yankees
Go Yankees!

Dica: quanto maior a antecedência para a compra do ingresso, melhor, pois os preços vão subindo conforme a data vai se aproximando. Ah! Nunca testamos deixar para comprar na porta com as pessoas que fazer revenda, pois nunca quisemos arriscar pagar muito mais caro ou a possibilidade de os ingressos já terem se esgotado. Se alguém tiver alguma experiência com compra de ingressos lá na hora e quiser compartilhar, sua participação será muito bem vinda.

Sentamos na Section 420A, Row 7 (fila), Seats 23 e 24 (cadeiras) e tivemos essa vista do estádio:

Yankee Stadium, 420A, Row 7, Seats 23 e 24

 

Yankee Stadium, 420A, Row 7, Seats 23 e 24

Existiam outros ingressos muito mais caros e outros um pouco mais baratos, mas achamos que pagamos um preço razoável (sim, os ingressos costumam ser caros) para uma localização que consideramos muito boa. Ficamos por trás da primeira base, de frente para um telão imenso, na sombra. Essa coisa da sombra é uma faca de dois gumes. Por um momento, por causa do frio que estava fazendo no estádio, desejamos imensamente estar sentados no sol. Por outro lado, sentar ali nos garantia abrigo no caso de uma eventual chuva. No final, fez um dia lindo e ensolarado e deu para curtir bem, porém, fica a dica: sigam com roupas bem preparadas para o frio, mesmo que esteja com cara de lindo dia de primavera.

Fomos até o estádio, que fica no Bronx, de metrô. A linha 4 tem uma estação chamada Yankee Stadium, que para ali pertinho. O metrô certamente estará cheio de torcedores do Yankees e é só seguir o fluxo de pessoas para chegar até lá.

Bela no Yankee Stadium

No estádio, não fugimos à tradição e fomos de hot dog com cerveja. Para a Bela, chocolate quente. Também levei umas bolachinhas de bebê, smoothies, suquinhos e iogurtes na mochila. A comidinha dela entrou no estádio, sem problema. Ninguém nem questionou.

Nessa época a Bela ainda mamava no peito. Nos Estados Unidos, sempre procuramos ser discretos quanto à amamentação, pois, culturalmente, os americanos não estão tão acostumados a ver um bebê mamando no peito (infelizmente). Daí discretamente, cobrindo com um paninho a Bela deu umas bebericadas tranquilamente. Ninguém nem percebeu.

Família pronta para o jogo
Torcedora Bela

Também dá para levar o carrinho para o Yankee Stadium, mas quando chegar ao seu assento, é preciso dobrá-lo e deixar guardadinho em um canto (os seguranças orientam direitinho).

Antes de ir, consultei o SAC dos Yankees sobre o carrinho, pois aqui em São Paulo não pode entrar nos estádios com ele. Conversei com um funcionário de lá pelo chat do site. Foi super rápido e o atendente foi muito solícito e simpático. Falou que nós adoraríamos o jogo, que ia ser uma experiência muito bacana para brasileiros, explicou que muita gente leva bebês pequeninos, se colocou à nossa disposição e ainda encerrou com um “Go Yankees!”.

Olha o balão que a Bela ganhou da funcionária do estádio!
Go Yankees!

Achei o atendimento pré-jogo muito bom e não pude deixar de lembrar do dia em que precisei saber se poderia entrar no Estádio do Morumbi com carrinho e ninguém sabia informar direito. Me transferiram da bilheteria para a administração, da administração para algum fulano que estava organizando a partida, depois me deram o telefone da Polícia Militar e disseram que eles que sabem responder, pois eles que fazem a revista na entrada do estádio. Liguei para a polícia e fui transferida para um monte de gente até finalmente descobrir que não, não pode levar o carrinho para o Morumbi.

Durante o jogo, a Bela se comportou como uma lady. Revezou o meu colo com o do pai, dormiu, torceu, comeu, assistiu o jogo e a torcida, distribuiu simpatia.

A Bela dormiu!

No estádio, uma ótima estrutura e muitas lojas com produtos do time. Gustavo comprou um jersey que eles personalizaram na hora com o sobrenome dele, compramos bonés para ele e para a Bela e eu comprei uma camiseta. Muita gente simpática cruzou o nosso caminho. Uma senhora deu para a Bela um anel dos Yankees e uma outra deu a ela um balão prateado em formato de estrela, inflado com gás hélio.

Uma partida de baseball costuma ser longa. É um programa para um turno inteiro. Depois do jogo, comemos no Hard Rock Café do próprio estádio. No Hard Rock, aquele atendimento que tanto apreciamos nos restaurantes tipicamente americanos. Oferecem cadeirão para as crianças, giz de cera e papel para colorir, menu infantil, banheiro com trocador, hambúrgueres de primeira, refrigerante com refil e porções bem servidas… Tudo o que uma família viajante precisa.

Hard Rock Cafe Yankee Stadium

Para quem ficou interessado, os outros times de Nova York são:

New York Yankees e New York Mets (baseball)

New York Giants e New York Jets (futebol americano)

New York Rangers, New York Islanders e New Jersey Devils (hockey no gelo)

New York Knicks e Brooklyn Nets (basquete)

Nossa conclusão é que é um programa que vale muito a pena. É muito tranquilo para ir com criança e é bom que dá uma quebrada naquela coisa de ficar batendo perna pela cidade.