Seattle: uma introdução + dicas para conhecê-la de motorhome (onde dormir, estacionar e tomar café da manhã)

Nesse post vamos falar um pouquinho sobre algumas das coisas que fazem a cidade se Seattle ser absolutamente especial e daremos algumas dicas para quem pretende ir até lá de motorhome (onde dormir, campings, free camping, onde tomar café da manhã perto dos campings e onde estacionar o carro para explorar a cidade).

Seattle é conhecida como Rain City (“Cidade da Chuva”) e também como The Emerald City (“A Cidade Esmeralda”). Gosto mais do segundo nome, pois Seattle teve a imensa consideração de nos brindar com dias lindos, de sol brilhando e céu azul. Nos dias que passamos lá, só pegamos um comecinho de manhã chuvoso, que logo se converteu em dia de céu de brigadeiro.

Seattle nos recebeu com céu azul.

Ficamos em Seattle praticamente 4 dias inteiros (chegamos no 9º dia de viagem e fomos embora no 13º) e achamos que foi um bom tempo para termos uma ideia da cidade. Se eu tivesse mais tempo lá, para ir além das principais atrações turísticas da cidade, teria ficado ainda mais feliz. Seattle é uma cidade muito gostosa. Tem tudo o que uma cidade grande americana tem, mas não é grandalhona. Dá para fazer um monte de coisa legal a pé e as principais atrações turísticas estão concentradas praticamente na mesma região.

As principais atrações de Seattle ficam concentradas no Seattle Center e na orla.
As principais atrações de Seattle ficam concentradas no Seattle Center e na orla.

Seattle está localizada em Puget Sound, uma região estuarina do estado de Washington. Isso faz com que a paisagem sempre esteja marcada por água e pontes, o que particularmente me agrada bastante.

Quem tiver muita sorte e pegar um dia com o céu bem limpo, vai ser brindado com uma vista linda do Monte Rainier por trás da cidade. Trata-se da maior montanha do estado de Washington, que passa a maior parte do tempo com o topo branquinho, coberto de neve e é um vulcão ativo. Sua última erupção foi em 1894.

Mount Rainier despontando por trás de Seattle. Foto: Victoegrigas – CC BY-SA 3.0

Seattle também é uma “pequenina” que impressiona por sua produção artística, tecnológica e intelectual. Com menos de 700 mil habitantes (3,5 milhões na região metropolitana), a cidade é sede de multinacionais como a Boeing, Microsoft, Amazon e Starbucks.

Na música, Seatlle é a cidade natal de nada menos que o melhor e maior guitarrista da história do rock, Jimi Hendrix. Bandas como Nirvana, Pearl Jam, Alice in Chains e Soundgarden levaram o grunge para o mundo. Não é à toa que o estilo grunge também é conhecido como som de Seattle. Esse estilo de rock alternativo surgiu na cidade no final da década de 1980 e ainda hoje influencia bandas de rock do mundo inteiro.

Seattle, Washington State
Seattle, Washington State

Também foi em Seattle que ficaram conhecidos grandes artistas do jazz, como Ray Charles (considerado um dos maiores gênios da música norte-americana), Quincy Jones e Ernestine Anderson. No hip hop, Seattle lançou nomes como Sir Mix-A-Lot e Macklemore (Thrift Shop tem mais de 1,2 bilhões de visualizações no Youtube). Ou seja, muito do que se escuta mundo afora está direta ou indiretamente ligado àquele cantinho da costa oeste americana.

Ah! Para os fãs de séries e cinema, é em Seattle que se passam as histórias de “Grey’s Anatomy”, “50 Tons de Cinza” e o absolutamente apaixonante “10 Coisas que eu Odeio em Você”.

Outra coisa muito legal de Seattle é que a cidade fica a pouco mais de duas horas de carro de Vancouver (Canadá) e tem acesso fácil a Victoria (capital da British Columbia) de ferry. Também saem de Seattle (e de Vancouver) muitos cruzeiros que vão para o Alasca. Então Seattle é uma cidade bem estratégica para servir de base para roteiros naquela região.

Se ainda não consegui te convencer a querer visitar Seattle, me acompanha nos próximos posts, que vou mostrar os lugares mais legais para visitar na cidade. É impossível não curtir muito esse lugar!

Seattle de motorhome

Na fase de planejamento desta viagem, uma coisa que me preocupou bastante foi como faríamos para visitar Seattle de motorhome. Afinal, dirigir em um cidade grande com um trambolhão não é a coisa mais prática do mundo. E quanto mais eu pesquisava, mais encontrava pessoas em fóruns falando que não se atreveriam a dirigir um motorhome dentro de Seattle.

Dirigindo o motorhome em Seattle

Continuei na pesquisa e descobri que a família do blog Felipe, o Pequeno Viajante, tinha visitado Seattle com motorhome, sim. Eles até deram uma dica preciosa de um local super bacana (e barato, se compararmos com o resto da cidade) para estacionar o motorhome bem ao lado da Space Needle e do burburinho turístico de Seattle.

Esse se tornou o nosso ponto favorito para parar o motorhome e desbravar a cidade (o lugar onde parávamos era na Taylor Avenue N, mais ou menos na altura do número 303, um pouco antes do Best Western), por trás do Ride the Ducks os Seattle e da Space Needle. Acho que o estacionamento ali custava 9 dólares e podia deixar o carro por um período de até 10 horas. O pagamento podia ser feito por um aplicativo que é baixado no site paybyphone.com. Também encontramos lugar fácil para estacionar na região do aquário e da roda gigante. Lá, nós deixamos o carro no Public Parking que fica na própria Alaskan Way, altura do número 1510. Lá tem um estacionamento coberto com elevadores para o Pike Place Market, mas deixamos na parte aberta (por causa da altura do motorhome), embaixo do viaduto.

Nossa vaga favorita, bem ao lado da Space Needle.
Nossa vaga favorita, bem ao lado da Space Needle.

Ou seja, com um pouquinho de paciência e sabendo dirigir bem, não vejo nenhum problema em circular de motorhome dentro de Seattle.

O único dia que decidimos deixar o motorhome em casa e ir para a cidade de Uber foi no dia do jogo dos Seattle Seahawks, pois estacionamento próximo a estádio em dia de jogo costuma ser muito caro e difícil de encontrar. Chegamos a tentar reservar uma vaga em frente ao estádio para participar da tailgate party, mas não encontramos vagas disponíveis que custassem preços pagáveis (rsrsrs). No post sobre o jogo vou explicar melhor o que é tailgate, quem sabe alguém um dia tem oportunidade de participar…

Onde pernoitar com o motorhome em Seattle

Com relação ao pernoite, dormimos em dois campings diferentes em Seattle. Os dois ficam fora da cidade, mas ambos dentro da região metropolitana e com acesso rápido e fácil para os principais pontos turísticos.

Uma coisa que vale destacar é que campings que ficam em regiões muito urbanas costumam ter as vagas bem mais apertadinhas que aqueles que ficam em parques nacionais. Então não estranhe se seu motorhome ficar encostadinho em outro e se você chegar no camping e não tiver uma mesa exclusiva para fazer suas refeições.

O primeiro camping que ficamos foi o Trailler Inns of Bellevue, que conta com vagas full hookup (com água encanada, rede de esgoto, eletricidade) e até cabos de TV para os motorhomes que têm a sorte de ter televisão. O camping tem piscina (só liberada para crianças acima de três anos que já tenham passado pelo desfralde), playground pequenininho (mas que quebra o galho) e banheiros limpinhos. Só não ficamos todos os dias nesse camping porque em um dos dias não tinha vaga. Ia rolar um show de rock na cidade e tinha muito motorhome circulando. Como não tínhamos feito reserva, tivemos que procurar outro camping para pernoitar na noite do show.

Trailler Inns of Bellevue
Playground do camping
Trailler Inns of Bellevue

Se você se hospedar na região de Bellevue como nós fizemos, um lugar legal para tomar café da manhã é o Lil’ Jon Restaurant, uma diner com estilo bem tradicional, que é operada pela mesma família há três gerações. Café da manhã delicinha.

Café da manhã no Lil’ Jon
Café da manhã no Lil’ Jon
Cardápio do Lil’ Jon

O outro camping onde nos hospedamos foi o Seattle/Tacoma KOA. A KOA (Kampgrounds of America) é uma rede com quase 500 campings espalhados em todo o território americano). Nessa unidade onde nos hospedamos, eles têm vagas com full hookup, tv a cabo, wi-fi, playgroung, piscina outdoor aquecida, sessões de cinema e de jogos dos Seattle Seahawks, área para pesca, aluguel de bicicletas, serviços de shuttle… É um camping bem estruturado e bem focado no segmento da família.

KOA Seattle/Tacoma
Playground no KOA Seattle/Tacoma
KOA Seattle/Tacoma

No dia que dormimos no KOA, tomamos café da manhã na charmosa cidadezinha de Kent, a 10 minutinhos de carro do camping. O lugar escolhido foi o Maggie’s on Meeker, que tem um jeito todo especial de lidar com as crianças. Amamos!

Panquecas no Maggie’s on Meeker
Café da manhã no Maggie’s on Meeker

Para quem procura free camping, uma dica da Claudia Rodrigues, do blog Felipe, o Pequeno Viajante, e que também vi em alguns fóruns pela internet é a ilhota Mercer Island, que fica entre Bellevue e Seattle. Falam que naquela região há a possibilidade de parar o motorhome na proximidade dos parques urbanos.

 

No próximo post vamos falar sobre as coisas que você não pode deixar de fazer em Seattle. Aguardem! =)

___________________________________________________________________________

Agradecemos aos parceiros do blog em Seattle: Visit Seattle, Seattle City Pass e Ride the Ducks of Seattle pelo apoio à nossa viagem.

___________________________________________________________________________

Nesta aventura, nós ficamos o tempo todo conectados na internet porque usamos o chip Easysim4u, que tem internet ilimitada nos Estados Unidos, Canadá e mais de 140 outros países. O chip é enviado para a sua residência no Brasil antes da viagem e, quando você chega ao destino, basta colocar o chip no celular e começar a usar. Você já sai do aeroporto conectado e usando o Waze e a internet à vontade.

Agradecemos pela gentileza da Easysim4u, parceira da RBBV, por ter nos enviado como cortesia o chip e o plano (USA + Canadá) para que pudéssemos permanecer conectados, compartilhando todos os momentos desta roadtrip com os leitores do  nosso blog.

___________________________________________________________________________

Usou alguma dica do nosso blog? Conta como foi! Gostamos muito de receber o retorno dos nossos leitores. Ficamos felizes quando sabemos que nossas dicas foram úteis nas viagens de outras famílias!

___________________________________________________________________________

Siga o Pezinho na Estrada nas redes sociais: Facebook Instagram.

___________________________________________________________________________

Já reservou o seu hotel? Nós somos parceiros do Booking. Quando você faz a sua reserva usando o nosso link, nós ganhamos uma pequena comissão que nos ajuda na manutenção do blog e você não paga nada a mais por isso.
Booking.com

 

 

 

 

Roadtrip na I-90: onde parar na estrada de Idaho a Washington State, a caminho de Seattle

No nosso 9º dia de viagem, saímos de Coeur d’Alene, no estado do Idaho, rumo a Seattle, em Washington State. Eram 500 quilômetros de estrada a serem percorridos de motorhome pela rodovia interestadual 90 (I-90). Como íamos cruzar quase todo o estado de Washington, de leste a oeste, levantamos alguns pontos interessantes e que não saíssem muito das proximidades da rodovia principal, assim podíamos parar, dar uma esticada nas pernas e conhecer ainda mais lugares lindos pelo caminho. Nesse post, damos as dicas de alguns lugares legais, que valem a parada a caminho de Seattle.

Sinalizamos os locais de parada no mapa abaixo.

Uma dica que damos é colocar no GPS sempre o endereço do próximo ponto de parada, para não passar batido por nenhum desses lugares.

Sprague Lake

O Sprague Lake fica a pouco mais de uma hora de Coeur d’Alene e é um lago muito bacana para quem curte pescar. Aliás, para quem viaja com este intuito, talvez possa até valer a pena pernoitar na região para aproveitar o lago.

Na nossa viagem, nós não paramos no Sprague Lake, pois saímos mais tarde do Idaho, encantados com o lago do camping e tínhamos outras prioridades de paradas ao longo da rodovia.

John Wayne Pioneer Trail

Para quem curte caminhar, pedalar ou cavalgar, a John Wayne Pionner Trail é uma rail trail (trilha que fica sobre uma ferrovia desativada), que abrange Washington State desde as encostas ocidentais das montanhas Cascade até a fronteira com o estado do Idaho. Possui 285 milhas de extensão (mais de 458 quilômetros). Também não chegamos a percorrer a trilha, mas se você ficou interessado,  pode encontrar mais informações neste link.

John Wayne Pioneer Trail no trecho do Keechelus Lake. Foto de: Gene Bisbee, CC BY 2.0
John Wayne Pioneer Trail no trecho do Keechelus Lake. Foto de: Gene Bisbee, CC BY 2.0

Parque Estadual da Floresta Petrificada Gingko, Wanapum Vista Point e Rio Columbia

Uma das paradas que consideramos imperdíveis ao longo dessa estrada é essa, pois os atrativos estão bem ao lado da rodovia e a vista que se tem nesse lugar é de tirar o fôlego. O Gingko Petrified Forest State Park fica na Wanapum Recreation Area, na cidadezinha de Vantage. Do Wanapum Vista Point, se consegue uma vista incrível do Rio Columbia.

Wanapum Vista Point
Wanapum Vista Point

O nome do parque se deve ao fato de terem descoberto madeira petrificada na região, na década de 1930. A floresta petrificada Ginkgo é um marco natural nacional registrado e é considerada uma das florestas fossilizadas mais incomuns do mundo.

Ginkgo Petrified Forest State Park
Carros estacionados em frente ao Wanapum Vista Point. Olha lá no nosso motorhome à esquerda.
Ginkgo Petrified Forest State Park

Para quem pretende pernoitar, o local conta com acampamento para tendas e motorhomes.

Ellensburg

Para quem gosta de cidadezinhas pequenas e charmosas, Ellensburg fica logo após a floresta petrificada e tem muitos antiquários e lojinhas de arte e artesanato. Não chegamos a parar nela, pois estávamos ansiosos para chegar às Snoqualmie Falls e depois a Seattle.

Davidson Building, Ellensburg. Foto: Bobak Ha'Eri, CC-By-SA-3.0
Davidson Building, Ellensburg. Foto: Bobak Ha’Eri, CC-By-SA-3.0

Snoqualmie Falls

As Snoqualmie Falls são uma das atrações mais populares do estado de Washington. Por ano, mais de 1 milhão e meio de pessoas visitam a cacheira, que é mais famosa por aparecer na série de TV norte-americana Twin Peaks. A queda d’água tem 82 metros de altura e fica em um parque localizado entre as cidadezinhas de Snoqualmie e Falls City.

Snoqualmie Falls
Snoqualmie Falls
Snoqualmie Falls

No parque há deck de observação, loja de presentes, placas informativas sobre o atrativo, estacionamento e entrada gratuitos.

No dia em que visitamos o parque, as cores do outono deixavam a caminhada do estacionamento até a cachoeira ainda mais encantadora.

A caminho das Snoqualmie Falls
Passarela para cruzar a rodovia até as Snoqualmie Falls

Fizemos almo-janta na cidadezinha de Snoqualmie, em um restaurante mexicano chamado Caadxi Oaxaca. A comida estava muito saborosa e o Felipe e a Isabela comeram super bem. O tempero lembrava muito o da comida brasileira. Até pedimos para eles prepararem um pratinho extra de arroz e feijão para eles comerem no motorhome, caso sentissem fome mais tarde.

Motorhome estacionado em frente ao restaurante mexicano.

___________________________________________________________________________

Usou alguma dica do nosso blog? Conta como foi! Gostamos muito de receber o retorno dos nossos leitores. Ficamos felizes quando sabemos que nossas dicas foram úteis nas viagens de outras famílias!

___________________________________________________________________________

Siga o Pezinho na Estrada nas redes sociais: Facebook Instagram.

___________________________________________________________________________

Já reservou o seu hotel? Nós somos parceiros do Booking. Quando você faz a sua reserva usando o nosso link, nós ganhamos uma pequena comissão que nos ajuda na manutenção do blog e você não paga nada a mais por isso.
Booking.com

__________________________________________________________________________

Nesta viagem, nós ficamos o tempo todo conectados na internet porque usamos o chip Easysim4u, que tem internet ilimitada nos Estados Unidos, Canadá e mais de 140 outros países. O chip é enviado para a sua residência no Brasil antes da viagem e, quando você chega ao destino, basta colocar o chip no celular e começar a usar. Você já sai do aeroporto conectado e usando o Waze e a internet à vontade.

Agradecemos pela gentileza da Easysim4u, parceira da RBBV, por ter nos enviado como cortesia o chip e o plano (USA + Canadá) para que pudéssemos permanecer conectados, compartilhando todos os momentos desta roadtrip com os leitores do  nosso blog.

 

Idaho, EUA, de motorhome

Dando continuidade ao nosso roteiro pelos Estados Unidos e Canadá de motorhome, com duas crianças, no post de hoje vou falar sobre a nossa passagem pelo estado do Idaho, na região noroeste dos Estados Unidos.

O Idaho é mais um daqueles estados norte-americanos pouco conhecidos e fora das rotas tradicionais dos turistas brasileiros. Mas assim como Montana, estado sobre o qual falamos no post anterior, o Idaho tem paisagens belíssimas e que valem a viagem. Escolhemos fazer um dos nossos pernoites na cidade de Coeur d’Alene, por ela ser considerada uma das cidades mais bonitas e com melhor infraestrutura turística no norte do estado.

Coeur d’Alene, Idaho

Trata-se de uma cidade com pouco mais de 50 mil habitantes, que é rodeada por dezenas de lagos formados por água de degelo. O site do Convention and Visitor Bureau de Coeur d’Alene afirma que há pelo menos 55 lagos fáceis de acessar de carro, partindo da cidade, mas que nenhum deles é mais bonito que o próprio Lago Coeur d’Alene, que fica rodeado pela cidade.

Chegamos em Coeur d’Alene à noite e não tínhamos reserva em nenhum camping. Procuramos ali na hora, no Google, um camping com espaço para motorhomes e encontramos o Blackwell Island RV Park, um camping que fica em uma ilha com marina, bem dentro do Lago Coeur d’Alene.

Blackwell Island RV Resort
Blackwell Island RV Resort

Blackwell Island RV Park

Nossa vaguinha no camping Blackwell Island RV Park é uma delícia e tem vistas incríveis. Conta com wi-fi grátis e 16 canais de TV a cabo (caso tenha a sorte de ter um motorhome com TV). O camping tem uma boa praia às margens do lago, onde se pode nadar e pescar, área para piquenique em frente à água, uma pequena marina, aluguel de canoas, barcos, pedalinhos e outros equipamentos/brinquedos para curtir na água.

Blackwell Island RV Park
Blackwell Island RV Park
Blackwell Island RV Park
Blackwell Island RV Park
Família curtindo a vista do lago, no Blackwell Island RV Park
Família curtindo a vista do lago, no Blackwell Island RV Park

O Felipe e a Isabela amaram os gansos que ficavam passeando pela praia e pelo lago do camping. Passamos uma manhã deliciosa admirando o lago e curtindo aquele lugar delicioso. A energia do ambiente ali é fantástica. Tomamos café da manhã no motorhome, apreciando aquela vista encantadora.

Blackwell Island RV Park
As crianças se divertindo com os gansos no Blackwell Island RV Park

Uma coisa que nos chamou a atenção em Coeur d’Alene foi a quantidade e variedade de hoteis. Tem hotel para todos os gostosos e bolsos. Desde resorts mais luxuosos em frente ao lago até hoteis de rede e bed & breakfasts mais econômicos.

Lake Coeur d'Alene, Idaho
Lake Coeur d’Alene, Idaho

Entre as atividades para se fazer na cidade, muita coisa gira em torno do lago. O pôr-do-sol e nascer-da-lua perto da água são considerados espetaculares. Praticar alguma atividade ou esporte aquático, jogar golfe (inclusive com um campo flutuante super famoso), passear de barco, correr, caminhar, pedalar e curtir as praias nas margens do lago… Observar as águias (bald eagles) que se alimentam de kokanees (uma espécie endêmica de salmão) no lago é uma das atividades favoritas dos moradores locais.

Gustavo e Felipe tomando um solzinho em frente ao Coeur d’Alene Lake

O centro da cidade é charmoso e tem bons restaurantes, cafés, lojinhas e antiquários. Infelizmente não tivemos tempo para curtir muito essa parte da cidade. Este site é dedicado aos atrativos de Downtown Coeur d’Alene: http://www.cdadowntown.com/.

É uma pena que o Idaho tenha sido apenas um ponto de descanso e de passagem no nosso roteiro. Sem dúvida alguma, gostaríamos de ter ficado ali mais alguns dias, curtindo o estado, a cidade de Coeur d’Alene, o lago, em uma pegada mais slow travel. Sem dúvida, vai para a lista dos lugares que queremos voltar.

 

Depois de curtirmos uma manhã deliciosa às margens do lago Coeur d’Alene, pegamos estrada rumo a Seattle. Até chegar lá, ainda teríamos mais 500 quilômetros de estrada, com direito a alguns pontos de parada pelo caminho.

___________________________________________________________________________

Créditos da imagem em destaque, no topo do texto: Sol nascendo em Coeur D’Alene, Idaho. Foto: D.Taylor in Idaho, https://creativecommons.org/licenses/by/2.0/

___________________________________________________________________________

Usou alguma dica do nosso blog? Conta como foi! Gostamos muito de receber o retorno dos nossos leitores. Ficamos felizes quando sabemos que nossas dicas foram úteis nas viagens de outras famílias!

___________________________________________________________________________

Siga o Pezinho na Estrada nas redes sociais: Facebook Instagram.

___________________________________________________________________________

Já reservou o seu hotel? Nós somos parceiros do Booking. Quando você faz a sua reserva usando o nosso link, nós ganhamos uma pequena comissão que nos ajuda na manutenção do blog e você não paga nada a mais por isso.
Booking.com

__________________________________________________________________________

Nesta viagem, nós ficamos o tempo todo conectados na internet porque usamos o chip Easysim4u, que tem internet ilimitada nos Estados Unidos, Canadá e mais de 140 outros países. O chip é enviado para a sua residência no Brasil antes da viagem e, quando você chega ao destino, basta colocar o chip no celular e começar a usar. Você já sai do aeroporto conectado e usando o Waze e a internet à vontade.

Agradecemos pela gentileza da Easysim4u, parceira da RBBV, por ter nos enviado como cortesia o chip e o plano (USA + Canadá) para que pudéssemos permanecer conectados, compartilhando todos os momentos desta roadtrip com os leitores do  nosso blog.