Transporte em São Paulo: de carro, de metrô, de ônibus, de táxi, de Uber, de bike, a pé… Como é melhor?

Vai visitar São Paulo e está em dúvida sobre qual a melhor forma de se deslocar na cidade? Como moramos em São Paulo, preparamos algumas dicas para te ajudar a tomar essa decisão.

Alugar um carro talvez NÃO seja uma boa opção e vamos apresentar alguns motivos

  • O trânsito em São Paulo às vezes pode ser um pouco caótico e estressante. Você não quer se estressar justo nas férias, quer?
Trânsito em São Paulo. Foto: Henrique Boney. Creative Commons 3.0
  • Mesmo com GPS e Waze, às vezes pode ser um pouco confuso dirigir por aqui, principalmente para quem não conhece bem a cidade. Você perde uma entradinha na Marginal e já tem que dar a volta no planeta para conseguir corrigir o seu erro e voltar à sua rota.
  • A cidade é enorme e tem algumas pegadinhas (rodízio veicular, faixas exclusivas para ônibus), com as quais muita gente não está acostumada.
  • Estacionar pela cidade é caríssimo e estacionar de graça pela rua é quase uma missão impossível, principalmente nas regiões próximas a pontos turísticos, restaurantes e áreas comerciais. Um valet em frente a algum restaurante custa (fácil) uns 20 a 25 reais. No Shopping, se você demorar um pouco mais, for a um teatro ou cinema e fizer uma refeição, o valor do estacionamento pode chegar a 20 ou 30 reais. Na Rua Vinte e Cinco de Março, em dia de sábado, os estacionamentos custam em torno de 35 reais e o trânsito é de enlouquecer. Some os valores dos estacionamentos ao valor de aluguel do carro e veja se não fica bem mais em conta andar de táxi ou Uber.
Valores do estacionamento no Shopping Pátio Higienópolis em agosto de 2017

Metrô e ônibus

Embora o metrô cubra uma área relativamente pequena da cidade, boa parte dos pontos turísticos tem estações de metrô próximas (em breve faremos um post mostrando os principais pontos turísticos próximos ao metrô). Aliás, na hora de escolher o local da hospedagem, uma boa dica é escolher algum hotel que fique perto de alguma estação.

Mapa das estações de metrô e trem de São Paulo

Daí a dica é: some os valores das entradas do metrô (ou integração ônibus + metrô/trem) e veja se compensa ou não ir de Uber/táxi. Confira aqui as tarifas do metrô. Crianças de até 6 anos e idosos com mais de 60 anos viajam de graça. Muitas vezes, quando se está com um grupo grande, o Uber fica mais em conta, além de ser mais rápido e confortável.

A Isabela toda contente porque estava “passeando” de metrô

O metrô de São Paulo é muito bom. É limpo, é eficiente e bem organizado. Quem já andou de metrô em outros países (inclusive de primeiro mundo), vai ver que o metrô de São Paulo não fica devendo em nada (a não ser pela cobertura, que podia abranger uma área bem maior da cidade).

Estação Butantã – Linha Amarela. Foto: Surian. Creative Commons 3.0
  • Se você vai optar por usar o transporte público na sua viagem, compre o Bilhete Único, que permitirá que você use o combo ônibus + metrô/trem com desconto e até 4 viagens de ônibus em um intervalo de até 3 horas pagando apenas uma tarifa. Residentes de São Paulo precisam fazer um cadastro do Bilhete Único, mas turistas não. Para turistas, há a opção de adquirir o Bilhete Único Anônimo (sem cadastro) mediante o pagamento de R$ 3,80 referente ao cartão, acrescido da recarga mínima no valor de 5 tarifas vigentes. O Bilhete Único pode ser adquirido nos Postos Autorizados.
  • Se estiver com crianças pequenas, você pode usar o carrinho de bebê. Como você vai passear muito pela cidade e também fazer longas caminhadas dentro das estações, o carrinho ajuda bastante. Procure os elevadores dentro das estações. Há vagões prioritários para gestantes, pessoas com crianças de colo, idosos e pessoas com deficiência.
  • Evite os horários de pico (comecinho de manhã e fim da tarde), quando as pessoas estarão indo e vindo do trabalho. Nesses horários, a coisa pode ficar meio caótica nas estações.
  • Dá para andar de bike e levá-la dentro do metrô, mas há restrições de horários e dias da semana. Saiba mais aqui.
  • Todas as estações possuem bilheterias. Se você não tiver Bilhete Único, pode comprar o bilhete diretamente na estação.
  • O metrô é um lugar que pode ser considerado seguro, mas um pouco de cuidado extra nunca é demais. Fique atento com os seus pertences e não largue a mão das crianças pequenas. Sempre fique atrás da linha amarela e auxilie as crianças ao entrar no trem, tomando cuidado com o vão entre o trem e a plataforma.
  • Consulte o horário de funcionamento das estações e evite surpresas, principalmente se estiver planejando pegar o metrô muito cedo ou tarde da noite.
  • Se for pegar ônibus e não souber qual, consulte o site da SPTRANS (que tem um serviço de busca de linhas por trajeto) ou o Google Maps (opção transporte público). Uma conversinha com os locais (tipo o recepcionista do hotel) para saber qual a melhor opção de ônibus/metrô também ajuda.

Uber/Táxi

O Uber funciona super bem em São Paulo. Há muitos motoristas cadastrados e muitas vantagens. Uma delas é que você não precisa andar com dinheiro. Outra é o fato de ter uma estimativa do valor da corrida, antes mesmo de chamar o motorista. E uma coisa que considero super importante para quem não conhece a cidade é a garantia de que o motorista não vai ficar “rodando” e fazendo voltas para aumentar o valor da corrida, já que você pode acompanhar pelo próprio aplicativo o caminho correto para o seu destino.

Em São Paulo, temos UberX (o que eu mais uso, com carros “normais” e não compartilhados), UberPool (com carro compartilhado com outros passageiros),  UberBlack (a modalidade mais cara de Uber, com carros de luxo) e UberSelect (uma modalidade intermediária entre o X e o Black).

Se estiver na fase de planejamento da sua viagem, você pode fazer o cálculo da estimativa dos valores dos seus deslocamentos no site da Uber: https://www.uber.com/pt-BR/cities/sao-paulo/ .

Outra opção são os táxis convencionais. São Paulo conta com uma grande disponibilidade de táxis e o serviço aqui costuma ser muito bom. Há aplicativos como o 99Táxis e o EasyTaxi.

Provavelmente o Uber ficará mais em conta que o táxi, daí cabe a você decidir qual prefere.

Para quem viaja com crianças, acho o Uber uma mão na roda. Dá para contar com um bom serviço, com conforto, conveniência, praticidade e preço acessível. Para famílias, muitas vezes compensa o Uber ao invés do próprio transporte público.

A pé / de bike

Muitos lugares da cidade serão melhor explorados e curtidos a pé ou de bicicleta. Para famílias mais chegadas atléticas (rsrsrsrs), chegadas em atividades físicas, um passeio de bicicleta pela cidade pode ser uma delícia e gerar momentos inesquecíveis.

A cidade conta com muitas ciclofaixas, ciclorrotas, ciclovias e ciclofaixas de lazer (entenda a diferença entre elas).

  • O Projeto Bike Sampa, da Prefeitura de São Paulo em parceria com o Banco Itaú, oferece bicicletas gratuitas (e aluguel) em pontos estratégicos da cidade. A bike sai de graça por um período de até 60 minutos. Você pode usar gratuitamente várias vezes ao dia, desde que haja um intervalo de pelo menos 15 minutos entre as viagens. Viagens com duração de mais de uma hora são tarifadas pelo valor de R$ 5,00 por hora.
Bicicletas do projeto Bike Sampa. Foto: Elisa Rodrigues – Secretaria de Transportes da Cidade de São Paulo

No aplicativo Bike Sampa, no site e no telefone 40036055, o usuário pode consultar as bicicletas disponíveis e as vagas para devolução.

Para usar as bikes é necessário efetuar um cadastro e o pagamento pode ser feito com o seu Bilhete Único. Saiba mais aqui: https://bikesampa.tembici.com.br/ .

Para quem está com crianças pequenas, um fator complicador pode ser o fato de as bicicletas não terem cadeirinha. Neste caso, se quiser fazer passeios de bike, pode valer a pena alugar uma.

  • Uma opção similar ao Bike Sampa é o Projeto Ciclo Sampa, parceria entre a Prefeitura e o Bradesco. Só que neste caso, só os primeiros 30 minutos são gratuitos. Saiba mais aqui: http://www.ciclosampa.com.br/index.php .
  • Nos parques Villa-Lobos e Ibirapuera é possível alugar bikes com cadeirinha para crianças.
Passeio de bike no Parque Villa-Lobos
  • Saiba mais sobre bike em São Paulo, roteiros de bike e dicas de segurança no link: http://www.cidadedesaopaulo.com/spdebike/index-desktop/ .
  • O projeto BikeTourSP oferece passeios culturais gratuitos (eles pedem a doação de 2kg de alimento não perecível) e guiados pela cidade de São Paulo. São vários passeios diferentes disponíveis na cidade e o pessoal oferece a bike, cadeirinha e capacete. É necessário fazer inscrição no site https://www.eventbrite.com.br/o/bike-tour-sp-8505300239 . A rota da Vila Madalena, que conta com muitas subidas, é feita com bikes elétricas. Nós já fizemos esse tour e curtimos muito. Nunca tínhamos pedalado uma bicicleta elétrica antes. Foi uma experiência muito gostosa. Para quem não sabe pedalar, o roteiro da Avenida Paulista conta com Triciclo Família. No passeio da Avenida Paulista também há uma bike especial adaptada para pessoas com mobilidade reduzida.
Passeio BikeTour SP – Vila Madalena – Beco do Batman
Passeio BikeTour SP – Vila Madalena

Bill Baggs Cape Florida State Park: lugar perfeito para curtir a família, pertinho de Miami

Que tal dar um tempinho da badalação em Miami Beach e esticar até um parque que reúne praia, tranquilidade, área preservada e estrutura de primeiro mundo? O Bill Baggs Cape Florida State Park, uma unidade de conservação localizada na Key Biscayne, fica a uns 40 minutos de Miami Beach e tem tudo isso.

Ele fica bem nessa pontinha aqui do condado de Miami-Dade. Olha só que delícia!

O parque é nesse pontinho vermelho. Fonte: Google Maps

 

E se você acha que 40 minutos é muito tempo de deslocamento para ver praia (que você já tem em Miami Beach), vou te dar mais um empurrãozinho. O caminho até lá é uma graça. Você vai passar por uma ponte extensa com vista de tirar o fôlego da cidade de Miami e arredores, marinas que são “coisa de cinema”, campo de golfe e condomínios super charmosos e organizados da Vila de Key Biscayne (Village of Key Biscayne).

 

Vista para Miami
Marina, no caminho para o parque

E se tudo isso não for suficiente, enfatizo que a praia do parque é considerada a 7ª melhor dos Estados Unidos pelo ranking do Dr. Beach, no qual concorrem inclusive praias do Havaí! A água do mar é azul e transparente, a vegetação é preservada e é possível observar animais em seu habitat natural: peixes-boi, guaxinins, répteis, pássaros… Quando fomos, a água não estava tão clara porque o dia estava nublado, então não conseguimos ver peixe-boi, mas há vários relatos na internet de pessoas que viram. Por outro lado, conseguimos ver esquilinhos e um guaxinim! A Bela ficou encantada!

A Bela tentando chamar a atenção de um esquilinho
Encontramos um guaxinim

Além de curtir a própria praia, há diversas opções de atividades para praticar por lá. Há estrutura para camping, piquenique, pesca, playground, aluguel de bicicletas, dois restaurantes, chuveiros, banheiros completos, área para atracar o barco e dormir (camping boat), canoeing e caiaque, aluguel de cadeiras de praia e guarda-sóis, trilhas e passeios guiados.

Caminho até a praia adaptado para cadeirantes / carrinhos de bebê
Praia do Bill Baggs State Park
Em frente ao Boater’s Grill

Uma das coisas que nos chamou atenção foi o fato de o parque ser todo acessível para cadeirantes / carrinhos de bebê. Até o caminho para a areia da praia tem uma adaptação bem bacana.

Uma das inúmeras áreas destinadas à pesca

 

Caminho adaptado para cadeirantes e carrinhos de bebê
Passeio pelo Bill Baggs State Park

Veja nesse link a lista completa de atividades, regras de uso e preços. 

Dentro do parque, fica um farol construído em 1825 (reconstruído em 1846), que é a construção mais antiga ainda existente no Condado de Miami-Dade. Os visitantes podem subir até o topo do farol e ter uma vista deslumbrante do parque e do entorno.

Família Pezinho na Estrada no Bill Baggs Cape Florida State Park
O farol

Para entrar no parque, é necessário pagar uma taxa de 8 dólares por carro (2 a 8 pessoas). Na entrada eles têm um “cartaz” feito a mão pedindo que o pagamento seja feito com notas de 1, 5 ou 10 dólares, “por favor”. Se estiver sozinho no carro, a taxa é de 4 dólares. Pedestres, ciclistas e passageiros extras pagam 2 dólares cada. O Bill Baggs abre todos os dias do ano às 8 horas e fecha “quando o sol se põe”. Confira aqui se essas e outras informações .

Como falei lá em cima, no dia em que fomos ao Bill Baggs, o céu estava nublado, o que nos impediu de curtir a praia. Decidimos, então, alugar uma bicicleta e percorremos o caminho pavimentado de cerca de 1,5 milha (pouco mais de 2,4 km) pelo parque, fazendo paradas estratégicas para apreciar a vista a partir dos píeres destinados à pesca.

Passeio de bike
A Bela e o papai tentam encontrar um peixe-boi passeando por ali

Almoçamos no Boater’s Grill, um restaurante simples, mas acolhedor e com vista fantástica do mar e dos barcos atracados no parque. Parece ser um restaurante para “boaters” mesmo, pois eles até fornecem o endereço em coordenadas, para quem vai chegar lá de barco. Pena que começou a chover e eles tiveram que baixar os toldos transparentes, que atrapalham um pouco a vista. Em um dia ensolarado aquilo ali deve ser uma delícia, inclusive nas mesas que ficam na parte externa do restaurante.

Um peixinho frito para começar – Boater’s Grill

Cardápio do Boater’s Grill – ficou um pouco fora de foco, mas dá para ter uma ideia do que servem e dos preços
Cerveja Presidente, da República Dominicana – para recordar a nossa lua de mel

O outro restaurante do parque se chama Lighthouse Cafe e pertence ao mesmo grupo que o Boater’s Grill: http://www.lighthouserestaurants.com/ .

The Lighthouse Cafe
The Lighthouse Cafe

Nosso balanço geral é que o passeio é uma delícia e valeu muito a pena, mesmo com o dia nublado. Se o sol decidir aparecer, então, não perca por nada (veja aqui fotos do parque em dia ensolarado)!

Para chegar lá, coloque no GPS: 1200 Crandon Blvd. A cidade é Key Biscayne, Flórida, CEP 33149.

Detalhe: tínhamos reservado essa manhã para o Miami Children’s Museum. Como estava nublado, era o momento perfeito para uma atividade indoor. Mas quando chegamos ao museu, demos de cara com a porta. Estava fechadíssimo! Ia acontecer um evento beneficente lá e não havia nada informando no site! Fiquei um pouco desapontada, pois as coisas nos Estados Unidos costumam ser organizadíssimas e podemos confiar nas informações de horário de funcionamento do site. Enfim… O museu ficou para a próxima e terminamos vivendo a experiência deliciosa do Bill Baggs. Foi ótimo! Amamos passeios ao ar livre.

Depois que saímos do parque, a chuva engrossou e olha só o que pegamos no caminho de Miami para Cocoa Beach:

Nos próximos posts, acompanhe a nossa viagem por Cocoa Beach e Cabo Canaveral.