Fim de semana em Campos do Jordão

Aproveitamos que os meus pais vieram ficar com a Bela durante as férias dela e fomos passar o fim de semana em Campos do Jordão.

A cidade fica a aproximadamente 180 km de São Paulo e a viagem dura entre duas horas e meia e três horas. Localizada no alto da Serra da Mantiqueira, é um dos lugares mais frios do estado de São Paulo. Para ter uma ideia, à noite, quando estávamos passeando pelo bairro turístico do Capivari, os termômetros da rua registravam 3 graus. A propósito, o frio é um dos principais atrativos da cidade. As pessoas vão para lá entre outras motivações, em busca das baixas temperaturas. Usam roupas elegantes de inverno, tomam chocolate quente, sentam pertinho da lareira, comem fondue, fazem fila para tirar foto perto dos termômetros digitais…

Veja aqui a previsão do tempo atualizada para Campos do Jordão. 

Turistas fazem fila para fazer fotos junto dos termômetros.
Turistas fazem fila para fazer fotos junto dos termômetros.

A arquitetura das construções mais novas da cidade, voltadas para o turismo, imita casas suíças, com madeirame nas fachadas e telhado inclinado, conferindo à cidade o título de “Suíça Brasileira”.  Vale destacar que essa é apenas uma estratégia de marketing, pois a cidade não foi fundada /colonizada por suíços. A colonização de Campos do Jordão foi portuguesa e ainda existem algumas construções com as características coloniais portuguesas no antigo bairro de Jaguaribe.

Foto: Ana Paula Hirama. Flickr. https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/
Foto: Ana Paula Hirama. Flickr. https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/

Na época do inverno, a cidade, que já tem no turismo uma das principais atividades econômicas, fica completamente lotada de turistas. Empresas e lojas montam estandes, lounges e pontos de venda especiais, tudo vira uma grande festa. Além disso, ainda há o Festival Internacional de Inverno, que é considerado um dos mais importantes festivais de música clássica da América Latina. Confira aqui a programação completa do festival desse ano.

A cidade é muito bonita e bem cuidada, com serviços excelentes voltados para o turista. Hospedagem, alimentação, turismo receptivo, entretenimento… Campos do Jordão vive e respira turismo. Além de tudo, é uma cidade muito legal para quem viaja com crianças.

Quem ouve falar do lounge chiquérrimo que a Veuve Clicquot instalou em Capivari ou vê o Amaury Jr conversar com milionários que estão curtindo o inverno por lá, pode imaginar que a cidade é só para ricaços. Nada disso. Campos do Jordão tem opções para todos os gostos e bolsos. É bem verdade que é muito mais caro viajar para lá em alta estação (principalmente julho), mas, mesmo nesse período, dá para “passar bem” por lá pagando preços mais justos.

Dica: se puder ir em dia de semana, você vai pagar bem mais barato pela hospedagem e a cidade estará mais tranquila. Eu não posso, pois trabalho de segunda a sexta.

Vou listar aqui alguns passeios que fizemos e outros que não fizemos, mas gostaríamos de ter feito e que são legais para quem vai à cidade com crianças.

Parque Estadual de Campos do Jordão / Horto Florestal

O Parque Estadual de Campos do Jordão, mais conhecido pelos turistas como Horto Florestal, fica um pouco mais afastado da cidade, mas vale muito o passeio. Para mim, é um dos lugares mais especiais de Campos do Jordão.

Parque Estadual de Campos do Jordão
Parque Estadual de Campos do Jordão

A entrada custa R$ 6,50 por pessoa. Crianças com menos de 8 anos e maiores de 60 anos não pagam. Estudante paga meia entrada.

No parque tem arborismo, tirolesa, aluguel de bicicletas, trilhas que levam a cachoeiras, passeio de trenzinho, café, lojinhas e restaurante super agradável, com comida gostosa e bons preços.

Para mim, um dos passeios mais legais de lá é a Trilha da Cachoeira, que pode ser percorrida de bicicleta. A trilha é larga, com pouco desnível e é considerada de nível fácil a médio. O passeio leva mais ou menos uma hora e é uma delícia. Já fiz esse passeio uma vez, quando passei uma semana trabalhando no parque. Dessa vez não deu, pois a Bela ainda é muito pequenininha e a agência que aluga as bikes fala que não é permitido levar crianças dessa idade. Se seus filhos já são grandinhos, não deixe de viver essa aventura pedalando junto com eles. A trilha também pode ser percorrida a pé.

Trilha da Cachoeira
Trilha da Cachoeira

A agência responsável pelas atividades de aventura no parque é a Zoom Aventura.

Tarundu

O Tarundu é um complexo de lazer onde o visitante pode passar o dia inteiro se divertindo junto com a família. São mais de 30 atividades em contato com a natureza, distribuídas em 500.000 m2.

No Tarundu, muitas atividades para crianças
No Tarundu, muitas atividades para crianças

Tirolesa, arborismo, escalada, patinação no gelo, passeios a cavalo, pônei, paintball, arco e flecha, entre muitas outras atividades.

A entrada no Tarundu custa R$ 5,50 por pessoa. As atividades podem ser pagas individualmente ou o visitante pode optar por passaportes que podem ser individuais ou compartilhados.

Bela e a vovó curtindo o Tarundu
Bela e a vovó curtindo o Tarundu

Como a Bela tem dois anos e ainda não pode aproveitar muitas das atrações, optamos por pagar pelos passeios individualmente. Ele simplesmente AMOU passear de pônei. Ela ama pôneis. My Little Pony é o desenho preferido dela e ela não parou de dar risada em cima do bichinho. A emoção dela montada no pônei valeu a viagem!

Bela pronta para sair no pônei
Bela pronta para sair no pônei

O complexo de lazer ainda tem restaurante, fraldário e estacionamento. Vale muito a pena. Mais ainda se seus filhos já forem maiores e puderem explorar cada pedacinho daquele lugar.

Passeio em Capivari

O bairro de Capivari é o centrinho turístico de Campos do Jordão. É super badalado. As pessoas vão muito bem vestidas e querem ver e ser vistas por ali. Lojas de grife, lojas de souvenir, cafés, restaurantes, bares, baladinhas, pousadas… Tudo junto em um só espaço.

Vale passear pelas calçadas, tomar um chocolate quente, observar os showrooms que as marcas montam na época do inverno. Embora pareça tudo muito chique e caro, tem opções para todos os bolsos. É só procurar direitinho, que acha de pizza e crepe a bacalhau e paella valenciana.

O chocolate quente de lá é uma de-lí-cia! Bem cremoso e super apropriado para o clima. Recomendo o da Araucária, uma fábrica de lá da cidade.

Bela se esbaldando no chocolate quente
Bela se esbaldando no chocolate quente

Borboletário

O acesso para o Borboletário Flores que Voam fica na estradinha que leva ao Horto. Infelizmente não conseguimos fazer esse passeio, pois não deu tempo. Fica marcado para a nossa próxima visita!

No borboletário, os visitantes assistem a um vídeo de aproximadamente 12 minutos que explica sobre as fases da borboleta, sua importância para o meio ambiente, como elas são criadas e como as pessoas devem proceder durante a visita ao viveiro.

Foto: Borboletário Flores que Voam
Foto: Borboletário Flores que Voam

A visita é acompanhada por um monitor, que guia os visitantes pelo jardim e para um espaço de observação onde é possível ver a “casa de criação”.

Toriba

A visita ao Toriba também teve que ficar para a próxima viagem. É um hotel fazenda, mas o espaço kids e o restaurante também são abertos para não-hóspedes. Lá, as crianças podem interagir com animais de fazenda e curtir no playground.

Ecoparque Pesca na Montanha

Não chegamos a visitar, mas ouvimos muitas boas recomendações sobre esse atrativo. De acordo com o site deles, lá tem passeio a cavalo, banho de cachoeira, trilhas, arco e flecha, pesca de truta, pousada e restaurante. As fotos do espaço são lindas e a vontade de ir é tão grande, que colocamos na nossa lista de coisas a fazer na próxima viagem à cidade.

Passeio de Maria Fumaça

É um dos passeios mais disputados de Campos do Jordão e são poucas vagas. Vale tentar garantir o ingresso com antecedência. Clique aqui para ver mais informações. 

Confira aqui mais passeios e dicas sobre Campos do Jordão.

Bate-volta em Holambra

Ontem foi feriado aqui em São Paulo (9 de julho, dia em que teve início a Revolução Constitucionalista de 1932). Feriado em dia de quarta é aquela coisa… Não dá para curtir um feriadão, mas dá para fazer um bate-volta. Aproveitamos que os meus pais vieram passar as férias da Bela aqui em São Paulo e fomos conhecer Holambra.

Holambra fica a mais ou menos 130 km de São Paulo – uma hora e meia de viagem, talvez duas. A cidade foi fundada por brasileiros e imigrantes holandeses que vieram ao Brasil após a Segunda Guerra Mundial, em meados de 1948.

Portal de entrada da cidade

A cidade, que também é conhecida como “cidade das flores”, é produtora de flores e plantas ornamentais e, nesse setor, é a principal exportadora da América Latina.

A cultura e as tradições holandesas podem ser vistas em cada cantinho da cidade. Nas lojas de souvenir, moinhos, gastronomia, flores, folclore…

 

Sinalização em português, holandês e inglês
Sinalização em português, holandês e inglês

Na ocasião da nossa ida até lá, foi ainda mais gostoso. Como estamos em época de Copa do Mundo, a cidade inteira está decorada com as bandeiras do Brasil e da Holanda e também por muitas flores holambrenses. O tema da decoração é “duas seleções no coração”. Lindo demais!

Decoração da Copa
Duas seleções, um coração

Também era dia de jogo da Holanda, que ia disputar a semifinal com a Argentina. A cidade estava lotada! Cheia de holandeses e brasileiros com camisas laranja, bandeiras, rostos pintados com as três cores da bandeira neerlandesa. Muito legal!

Camisa laranja por todo lado
Camisa laranja por todo lado

A prefeitura montou uma Praça do Torcedor no pavilhão que fica ao lado dos lagos, com um telão imenso, apresentações musicais e danças folclóricas. Vez ou outra a cidade aparecia em um link ao vivo na TV e os holambrenses ficavam muito orgulhosos com tudo isso.

Infelizmente, a Holanda perdeu para a Argentina nos pênaltis. Não ficamos até o fim para ver o que aconteceu, pois não queríamos chegar a São Paulo muito tarde. Acompanhamos o final do jogo no carro, pelo rádio. Independente do resultado, foi muito bacana conhecer a cidade nessa época, com essa atmosfera de festa.

Torcida holandesa
Torcida holandesa

O que fazer lá?

Passeio na Rua Turística

Na rua turística há lojinhas de souvenir, padarias, docerias e restaurantes. É um passeio bem gostoso.

Rua Turística
Rua Turística

Passeio nos campos de flores

Existem alguns passeios disponíveis para quem quer conhecer os campos onde as flores são produzidas. Não chegamos a fazer o passeio, pois o nosso foco no dia da visita foi assistir o jogo da Holanda e a cidade estava toda voltada para isso. Assim, não tenho como indicar uma agência, mas falam que a Theos oferece esse passeio. Outro dia eu volto lá para fazer.

Campos de flores em Holambra. Foto: Miguel Schincariol
Campos de flores em Holambra. Foto: Miguel Schincariol

Comprar flores e souvenires

As lojas de flores são uns galpões gigantes, com bons preços e muita variedade. Compramos no Garden Center, que fica um pouco antes do portal de entrada da cidade. Lá também há restaurante e banheiros com trocadores.

Bela, vovô e vovó nas compras
Bela, vovô e vovó nas compras

Comer pratos típicos

Diversos restaurantes e confeitarias servem comida e doces holandeses. Tentamos almoçar na Confeitaria Martin Holandesa e no The Old Dutch, mas como a cidade estava cheia, havia fila de espera de mais de uma hora em cada um deles. Como a fome apertou, terminamos comendo no Restaurante que fica no Garden Shopping mesmo. É um restaurante simples. Eles têm opções para comer no self-service por quilo ou a la carte. Fiz um prato para a Bela no quilo, pois ela queria “cacarrão” (macarrão) e deu R$ 3,99 e pedimos um prato típico a la carte (que quando a Bela viu, terminou comendo também). Escolhemos o “Especial Típico da Casa”, que, de acordo com a moça que nos atendeu, era para duas pessoas, mas servia três. E serve mesmo. Era bastante comida e estava gostoso. O prato vinha com eisbein de porco a pururuca, kassler, schublig, purê de batata com chicória e bacon, e chucrute. O restaurante tem cadeirão e banheiro com trocador.

Prato típico holandês
Prato típico holandês

Além da comida holandesa, você encontrará na cidade opções de lugares para comer a comida indonésia, uma vez que a Holanda já teve colônia lá. O Warong é bastante conhecido e tem gente que faz bate-volta em Holambra só para comer lá.

Muitas confeitarias
Muitas confeitarias

Ainda tem a confeitaria Zoet en Zout, que fica em frente ao lago e é indicadíssima!

Passear pelas praças e áreas verdes

A cidade tem muitas praças charmosas e bem cuidadas e lagos, onde você pode passear com as crianças e passar um dia super agradável.

Visitar o moinho e os portais

O Moinho Povos Unidos foi inaugurado em 2008 em homenagem aos 60 anos de imigração holandesa na cidade. Foi projetado pelo holandês, especialista em moinhos, Jan Heijdra. Muito bonito o lugar e a visita vai render muitas fotos. Ali pertinho também tem um portal menor de entrada na cidade. Na outra entrada fica um portal grandão, onde as pessoas param para fazer fotos e pegar informações no centro de informação ao turista.

Moinho Povos Unidos
Moinho Povos Unidos

Em época de jogos, visitar a Praça do Torcedor!

Foi uma experiência muito legal. Muita gente animada, com uma energia muito boa! Vale também pelas apresentações musicais e pelas danças típicas.

Expoflora

Se estiver visitando Holambra entre agosto e setembro, não deixe de visitar a Expoflora, a maior exposição de flores e plantas ornamentais da América Latina, realizada nessa época para dar boas vindas à primavera.

Nesse período, a cidade de 11 mil habitantes chega a receber 300 mil turistas. Danças típicas, apresentações musicais e até chuva de pétalas fazem parte do evento.

No pavilhão da Expoflora, o turista pode ainda visitar o Museu Histórico Cultural de Holambra, que tem entrada gratuita.

 

 

 

São Paulo é tudo de bom!

Hoje, gostaria de inaugurar uma área especial do blog que trará dicas sobre a cidade onde moramos há quase seis anos e que amamos há muito mais tempo que isso: São Paulo.
Ué?! Mas o blog não é sobre viagem? Se vocês moram aí, São Paulo não é viagem, é? É sim! Além de adorarmos “turistar” pela cidade, as dicas ainda podem ajudar quem pretende viajar pra cá ou mesmo quem vive aqui e quer saber novidades ou desbravar algum cantinho especial que ainda não conhecia. Então é isso: São Paulo faz parte do nosso blog, sim! =) E de uma forma muito especial.

Esperamos que gostem das dicas e que elas despertem em vocês a vontade de conhecer cada vez mais sobre essa cidade incrível, que além de tudo, é ótima para crianças!

Bela em contato com a natureza no Jardim Botânico de São Paulo

São Paulo acaba de ser eleita o destino brasileiro preferido de turistas nacionais e estrangeiros pelo Prêmio Travelers’ Choice 2014, do site TripAdvisor. Prêmio merecidíssimo, diga-se. São Paulo vai muito além da “selva de pedras e asfalto” que muitas vezes é documentada nos telejornais. Na verdade, essa visão de São Paulo sempre caótica, São Paulo só para negócios, São Paulo sempre naufragada em um mar de carros e trânsito, é uma visão preconceituosa, de quem não se permitiu uma chance de conhecer as múltiplas facetas desse destino riquíssimo nos aspectos culturais, arquitetônicos, gastronômicos, educacionais, repleto de áreas verdes e bairros arborizados, com atrativos turísticos para cidade nenhuma botar defeito. Problemas existem, como em qualquer megalópole, mas nada que não possa ser compensado pela imensidão de possibilidades que a capital paulista oferece.

Viaduto do Chá. Foto: Miguel Schincariol

A população paulista, além de ter as origens étnicas mais comuns entre os povos brasileiros, com a confluência de povos indígenas, negros africanos e colonizadores portugueses, ainda recebeu muitas influências das ondas imigratórias provenientes de diversos países. Italianos, japoneses, judeus, sírios, libaneses, bolivianos, coreanos, chineses, senegaleses, haitianos e, claro, brasileiros vindos de outras regiões, principalmente do norte e do nordeste, entre muitos outros, conferem a São Paulo uma qualidade cosmopolita e de riquíssima cultura e identidade construída pela mistura das raízes desses povos.

Museu do Ipiranga. Foto: Rubens Chiri

Nesse primeiro post sobre a cidade de São Paulo, vamos apresentar alguns números que mostram como essa cidade é impressionante!

• PIB de R$ 477 bilhões (10º maior PIB do mundo e quase 12% do PIB nacional)
• 11,8 milhões de habitantes
• 410 hotéis, com 42.000 apartamentos disponíveis e 70 hostels
• 53 shopping centers, com 12.400 lojas
• 240 mil lojas
• 59 ruas de comércio especializado em 51 segmentos
• 888 feiras livres
• 3.028 transações de cartão de crédito por minuto (aproximadamente 50 por segundo)
• 164 teatros
• 282 salas de cinema
• 39 centros culturais
• 103 parques e áreas verdes
• 125 museus
• 146 bibliotecas
• 10 estádios de futebol
• 332 centros de esporte e lazer
• 1 autódromo
• 15 mil restaurantes
• 20 mil bares
• 1.500 pizzarias, que produzem 1 milhão de pizzas por dia (são quase 700 pizzas por minuto)
• 3.200 padarias, que produzem 10,4 milhões de pãezinhos por dia (são mais de 7.200 pãezinhos por minuto)
• 34 mil táxis
• O 7º melhor restaurante do mundo
• A melhor chef mulher do mundo
• O melhor hospital da América Latina
• Única cidade brasileira no ranking das 20 melhores cidades do mundo para jovens

São Paulo é isso e muito mais! Uma metrópole superlativa. Quanto mais a gente conhece sobre São Paulo, mais a gente descobre que tem muito mais a conhecer.

Então é isso! Em breve, muitas dicas para que você possa curtir a cidade de São Paulo da melhor forma possível e junto com a sua família!

Por enquanto, veja algumas fotos do que vem por aí:

Rua 25 de Março. Foto: Miguel Schincariol
Bela e o papai curtindo as áreas verdes de São Paulo
Estádio do Morumbi. Foto: Rubens Chiri
Pizza! A melhor do mundo é a de São Paulo! Foto: Rubens Chiri
Bela se esbaldando no tanque de areia do Parque Buenos Aires
Assistindo jogo do São Paulo no Estádio Morumbi
Pastel de feira: a cara de São Paulo!
Estação Júlio Prestes. Foto: Rubens Chiri
Mamãe e Bela no Parque Buenos Aires
Corrida de São Silvestre. Foto: Rubens Chiri
Pedalando por São Paulo
Catedral da Sé. Foto: Rubens Chiri

Créditos dos números sobre São Paulo: material compilado e organizado pela SPTURIS (2014) e Observatório do Turismo, que usam como fontes Ancine, Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, Ministério da Cultura, Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação, ABRASCE, Associação Brasileira de Cartões de Crédito e Serviços, Supervisão Geral de Abastecimento / Prefeitura de São Paulo, ABRASEL, The World’s 50 Best Restaurants (Revista Britânica Restaurant), Prêmio Veuve Clicquot, TripAdvisorPortal R7.