Santa Barbara, CA: uma cidade que vale a parada (com bate-volta em Solvang e Santa Ynez Valley)

Continuando a nossa viagem pela costa da Califórnia, depois de percorrer o trecho do Big Sur, viemos para a nossa próxima parada: Santa Barbara.

Muita gente que faz essa viagem da costa oeste americana passa reto por Santa Barbara ou faz só uma parada rápida por lá. Não sei se isso acontece porque as pessoas nunca ouviram falar da cidade, se é por falta de tempo ou se é porque não se interessam por ela mesmo (o que acho difícil). Acontece que, para mim, ela é uma cidade que vale a parada. Diria até que, pra gente, Santa Barbara é fundamental e cada vez mais gente vem descobrindo essa pequena joia californiana.

Santa Barbara. Foto: Eugene Zelenko, CC BY-SA 3.0, http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/

Escolhemos dormir dois dias lá e não nos arrependemos nem um segundo de termos tomado essa decisão. A cidade é linda, não tem prédios altos, é cheia de casas com um estilo arquitetônico espanhol, com telhados vermelho-alaranjados, que conferem um ar meio mediterrâneo à região. Há até quem a chame de “Riviera Americana”. Foi fundada por uma missão espanhola e as influências hispânicas podem ser vistas, assim como em quase toda a California, nos nomes das ruas e lugares, na comida e nas construções.

Santa Barbara é uma cidade pequena, com pouco mais de 90 mil habitantes (se contarmos com as cidades contíguas, a região tem aproximadamente 220 mil pessoas), boa parte deles estudantes, por causa da University of California, Santa Barbara (UCSB). Então o clima é super alto astral, com um estilo de vida bem “a Califórnia que todos imaginamos”: jovens bronzeados, praia, surfistas, pessoas praticando esportes na orla… Para ter uma ideia, Katy Perry (aquela que canta “California gurls”) nasceu lá. Jack Johnson, que canta aquelas músicas com uma pegada bem praia/surf, estudou na UCSB. E, por qual motivo, se não porque a cidade é mesmo incrível, essas pessoas que vou citar tiveram ou têm uma casa lá? Jennifer Aniston, Marc Anthony, Jeff Bridges, Charlie Chaplin, Julia Child, Kevin Costner, Tom Cruise, Ellen DeGeneres, Kirk Douglas, Jane Fonda, Whoopi Goldberg, Avril Lavigne, Christopher Lloyd, Jennifer Lopez, Brad Pitt, Ronald Reagan, Ryan Reynolds, Kelly Slater, Steven Spielberg, Paul Walker, Oprah Winfrey, entre muitos outros.

Santa Barbara

Ainda não consegui te convencer de que Santa Barbara merece a visita? Pois bem, então some ao charme do ar espanhol/México chique/americano/praieiro um entorno repleto de serras/colinas belíssimas, uma rua bem comercial cheia de shoppings e lojas de grife e pertinho da praia (State Street), uma região produtora de vinho (Vale de Santa Ynez) e uma cidadezinha construída por dinamarqueses que te faz sentir na Europa (Solvang). Acho que agora deu pra entender que vale a visita, né? 😉

Para quem vai até lá saindo de Los Angeles, o tempo de viagem é de pouco menos de duas horas (varia, pois depende do trânsito). Há quem faça Santa Barbara em um bate-volta, tendo LA como local de hospedagem. Se a sua única chance de conhecer Santa Barbara for assim, sugiro que saia de Los Angeles bem cedo e só volte depois do anoitecer, para tentar aproveitar o máximo possível. Ainda assim, será um pouco cansativo.

No nosso caso, estávamos descendo a Highway 1, no sentido norte à sul e chegamos do Big Sur à noite, para fazer check-in no hotel.

Hospedagem

Ficamos hospedados no Brisas del Mar Inn at the Beach, um dos poucos hotéis que não reservamos pelo Hotwire, pois eu não queria correr o risco de pegar um hotel que não tivesse telhadinho laranja e charme espanhol. Fechamos a reserva diretamente no site do hotel, pois eles tinham garantia de melhor preço.

O check-in foi muito tranquilo e os funcionários foram super simpáticos conosco o tempo todo. Ligamos dois dias antes para o hotel para perguntar se receberiam um pacote de uma compra de última hora e eles falaram que o fariam, sem problema algum. Na diária estavam incluídos café da manhã e um lanchinho no final da tarde com direito a queijos e vinho. Também nos presentearam com uma garrafa de vinho produzido na região de Santa Barbara.

Brisas del Mar Inn at the Beach
Brisas del Mar Inn at the Beach
Brisas del Mar Inn at the Beach

Chegamos e o quarto já estava prontinho, com o berço da Bela montado. No banheiro, shampoos, creminhos, sabonetes (em formato de conchinhas) e até removedor de maquiagem. Tudo top.

Como o nosso dia tinha sido muito cansativo, chegamos, subimos a bagagem, tomamos banho e pedimos pizza e uma massa em um delivery para entregar no hotel mesmo. O bacana é que lá, o entregador vai até a porta do quarto, o que é muito conveniente para quem está exausto.

O Brisas del Mar fica bem localizado, pertinho da praia e da State Street, o que significa que deixamos o carro em casa e exploramos a cidade a pé. Uma delícia! Outra boa forma de conhecer a região, seria alugando uma bicicleta. Não fizemos, mas fica a dica.

Santa Ynez Valley e Solvang

No dia seguinte, acordamos cedo após uma revigorante noite de sono, tomamos café da manhã no hotel e seguimos rumo ao Santa Ynez Valley (Vale de Santa Inês), que fica pertinho de Santa Barbara. Levamos uns 40 minutos para chegar de carro até a região, mais conhecida pela produção de vinhos. É lá também que fica a cidade de Solvang, construída por americanos e dinamarqueses que foram parar na Califórnia porque estavam fugindo do clima frio dos países nórdicos.

Solvang
Solvang
Solvang
Solvang

A cidadezinha de Solvang é uma graça. Por um segundo, parece mesmo que você não está mais nos Estados Unidos e sim na Europa. Por esse motivo, a cidade é beeeem turística. Tem muitas opções de hospedagem, restaurantes, cafés e lojinhas. Uma loja bem famosa é a Jule Hus, que vende produtos natalinos o ano inteiro. Sou apaixonada por coisinhas de Natal, então tive que dar uma passada lá para comprar umas coisinhas. Eles falam que seguem o estilo europeu de decoração, com ênfase na cultura escandinava.

Jule Hus, artigos natalinos o ano inteiro – Solvang
Solvang
Solvang
Solvang

Saindo de Solvang, partimos para o tema “vinho”. De acordo com o bureau de viagens do Santa Ynez Valley, existem mais de 120 vinícolas naquela região, a maior parte opera em pequena escala e/ou tem organização de base familiar. Isso é muito bacana!

 

O filme Sideways (Entre umas e outras), vencedor de Oscar e Globo de Ouro, acontece na região das vinícolas do Vale de Santa Ynez, onde dois amigos apreciadores de vinho foram celebrar a despedida de solteiro de um deles. Como não somos entendedores de vinho, ficamos um pouco perdidos na hora de escolher vinícolas para fazer a visita e a degustação. Já de cinema, nós gostamos! Então decidimos visitar uma vinícola que tivesse sido locação para o filme. A eleita foi a Kalyra Winery, uma vinícola bem agradável, localizada a apenas cinco minutinhos de Solvang.

A Bela fazendo amigos na Kalyra Winery
As uvas da Kalyra Winery
Kalyra Winery
Kalyra Winery

Enquanto degustávamos, as funcionárias da vinícola ficaram interagindo com a Bela e ofereceram um copo para ela brindar com a gente (com água) e crackers. Depois de um tempo, chegaram dois “au-aus” lindos lá e a Bela ficou distraída brincando com eles, enquanto a mamãe e o papai degustavam.

Kalyra Winery
Kalyra Winery
Kalyra Winery

Depois demos uma voltinha pela área onde ficam as uvas, pegamos o carro e partimos para procurar um restaurante que tinha sido indicado pelo Ricardo Freire, do Blog Viaje na Viagem, o The Hitching Post, que também aparece no filme Sideways. Quando chegamos lá, demos de cara com a porta. Infelizmente estava fechado e só abria após as 17h. Nunca imaginamos que uma churrascaria estaria fechada em pleno horário de almoço, mas o horário de funcionamento deles é esse mesmo: eles só servem jantar e das 5PM às 9:30PM. A culpa foi nossa de não termos olhado o horário de funcionamento antes. Terminamos voltando para almoçar em Santa Barbara, mas tinha várias opções de restaurantes ali mesmo, na região das vinícolas.

Anota aí: na próxima vez que viermos a Santa Barbara, não podemos esquecer de JANTAR no The Hitching Post.

State Street, Stearns Wharf

Chegando a Santa Barbara, deixamos o carro no hotel e fomos caminhando com a Bela e o carrinho pelo calçadão da praia. Cogitamos comer no Stearns Wharf, o belíssimo píer da cidade, mas, àquela altura, ainda estávamos na pegada de comer carne e, por algum motivos, decidimos subir para a State Street, que lembra muito a Lincoln Road de Miami. É cheia de lojas de grife, shoppings, restaurantes, bares e cafés. Tem todas as lojas que amamos nos Estados Unidos: de Gamestop a Marshalls, de Apple Store a CVs. Para ter uma noção melhor de tudo o que pode ser encontrado na State Street e entorno, clique nesse link: http://www.downtownsb.org/shop .

Pezinho na estrada e olhos atentos no mapa. Bela pelas ruas de Santa Barbara
Pezinho na estrada e olhos atentos no mapa. Bela pelas ruas de Santa Barbara
State Street, Santa Barbara
Stearns Wharf – Santa Barbara
Área sujeita a terremotos e tsunamis – Santa Barbara
Santa Barbara

Almoçamos na Santa Barbara Brewing Company porque o nome nos pareceu mais local. Comemos asinhas e hambúrguer e pedimos uma massa do menu infantil para a Bela.

Depois perambulamos mais um pouco pelas lojas e voltamos para a pousada caminhando. Dessa vez, não mais pela orla, mas por dentro das ruas com casas. Foi intencional. Queríamos ficar admirando as casas brancas com telhados laranjas e palmeiras nas calçadas. Sério: como é linda essa cidade!

Tivemos o prazer de dormir mais uma noite no nosso mui amado Brisas del Mar Inn. No dia seguinte tínhamos que fazer check-out e partir para o nosso dia de compras no outlet de Camarillo. Mas vou deixar essa parte para o próximo post.

Veja aqui mais informações sobre Santa Barbara e região: http://www.santabarbaraca.com/

Esse post faz parte de um roteiro maior, de 15 dias, pela costa oeste americana. Para ver o relato completo da viagem, clique aqui.

 

2 comentários sobre “Santa Barbara, CA: uma cidade que vale a parada (com bate-volta em Solvang e Santa Ynez Valley)”

    1. Olá Sabrina.Dê uma olhada nesse link com informações sobre a tolerância no consumo de álcool na Califórnia: http://losangeles.itamaraty.gov.br/pt-br/infracao_de_transito.xml . Lá, eles dizem que o limite de álcool para motoristas na Califórnia é de 0.08 BAC (Blood Alcohol Content). “Então, quantas bebidas posso consumir antes de dirigir? Há vários fatores que contribuem para o nível de embriaguez de uma pessoa. O peso, a quantidade de alimento ingerido, o quão rápido as bebidas alcoólicas são consumidas e o estado de saúde são fatores que influenciam na velocidade com que o nosso organismo metaboliza o álcool. Além disso, diferentes tipos de bebidas alcoólicas contém teores alcoólicos diferentes e, dependendo de seus ingredientes, podem ser metabolizados de forma diferente por nosso organismo. Por exemplo, se um indivíduo de 120 lbs (54 kg) consome duas bebidas alcoólicas dentro de um intervalo de tempo de uma hora, provavelmente ele terá um BAC de cerca de 0,08 por cento. Um indivíduo de 160 lbs (72 kg) que consome quatro bebidas alcoólicas dentro de um intervalo de tempo de uma hora provavelmente terá um BAC de 0,12 por cento. Em ambos os exemplos, os indivíduos estariam acima do limite legal de intoxicação na Califórnia. Estes valores são para ser usados apenas como um guia. Para algumas pessoas, até mesmo uma única bebida poderia ser demais.” (Fonte: http://losangeles.itamaraty.gov.br/pt-br/infracao_de_transito.xml)
      O que podemos te adiantar, é que na degustação, os copos são bem pequenininhos. Só para conhecer cada vinho mesmo.

Deixe um comentário