Nova York com bebê de um ano (parte 2)

Vocês viram aqui o comecinho do relato da viagem que fizemos com a nossa filha de um ano a Nova York. Hoje vamos falar um pouquinho mais sobre essa experiência.

Melhor época para visitar a cidade

Não tive o prazer de conhecer a Big Apple em todas as épocas do ano, mas está nos meus planos fazê-lo. Para mim, Nova York deve ser encantadora o ano inteiro. É uma cidade na qual as quatro estações do ano podem ser vivenciadas intensamente e, por isso, podemos até dizer que existem quatro Nova Yorks diferentes.

O vídeo abaixo, do Minh T. Nguyen, não me deixa mentir. Ele filmou o Central Park ao longo de quinze meses e assim podemos ver o quanto a paisagem varia naquele lugar. Das cores e flores na primavera, ao parque bem verdinho e quente no verão, de tons outonais de marrom, laranja e amarelo ao branco da neve que cobre o parque inteiro durante o inverno.

Clique aqui para ver como a temperatura varia lá ao longo do ano. Julho e agosto são os meses mais quentes e, com a umidade, a sensação térmica pode passear pela casa dos 40 graus. Dezembro, janeiro e fevereiro costumam registrar as temperaturas mais baixas. Nessa época, a paisagem é aquela do filme “Esqueceram de mim 2”, com direito a patinação no gelo no Central Park ou em frente àquela árvore de Natal enorme do Rockefeller Center.

Como estávamos indo a Nova York pela primeira vez e com um bebê de um ano, escolhemos a primavera, que tem temperaturas mais amenas e Central Park florido. Acreditamos que aproveitaríamos melhor a cidade nesse período. Fomos em maio e pegamos a temperatura variando de 6oC a 26oC.

NYC na primavera
NYC na primavera

 

Aqui você pode ver a previsão do tempo atualizada de Nova York. 

Vista do Top of the Rock

Já falamos aqui que compramos os bilhetes para fazer o passeio guiado Hop on Hop off. O pacote que fechamos dava direito à entrada para subir no Empire State Building ou no Rockefeller Center. Escolhemos o Rockefeller, com a subida ao Top of the Rock. Além de ter  bem menos fila que o Empire State, se tivéssemos escolhido o Empire, estaríamos em um dos únicos topos de prédios de Manhathan de onde não se consegue ver o Empire State Building, já que se está em cima do próprio. Dica preciosa do Ricardo Freire, do blog Viaje na Viagem. Ele fala que é o único mirante de onde se pode ver o Empire State e o Central Park de perto.

A subida foi muito tranquila. Não tinha fila no horário em que fomos e os elevadores são super rápidos. É um passeio rápido, que rende uma vista incrível, ótima para fotos. A Bela estava dormindo e não “conheceu” Nova York do alto. Mas a gente registrou tudo para ela saber que ela já dormiu no topo de New York City.

Vista do Top of the Rock
Vista do Top of the Rock
Vista do Top of the Rock
Vista do Top of the Rock

A entrada no Top of the Rock faz parte de diversos tipos de pacotes, como o New York City Pass, o New York Pass e os pacotes Hop On Hop Off, então dificilmente você precisará comprá-la separadamente. Caso opte por comprar só esse passeio, desvinculado de outros, os preços são: US$ 29 (adulto), US% 18 (crianças de 6 a 12 anos) e US$ 27 (pessoas com mais de 62 anos). Dá para antecipar a compra pela internet e poupar filas.

Lojas de brinquedos, doces, videogames e afins

Nova York deve ser uma das cidades que tem as lojas de brinquedos mais legais do mundo. Para começar, a Toys R Us da Times Square, uma das maiores e melhores lojas de brinquedos do mundo. Ela é tão grande, que tem até uma roda gigante dentro. Tão turística, que tem fotógrafos posicionados em lugares estratégicos, prontos para tirar uma foto da sua família e depois vender para você.

Toys R Us, Times Square
Toys R Us, Times Square
Toys R Us, Times Square
Toys R Us, Times Square

Dá para passar um dia inteiro se divertindo lá dentro. A variedade de brinquedos é incrível. Desde brinquedos educativos, como modelos de corpo humano para montar em casa (meu marido comprou o sistema musculoesquelético), até trenzinhos, skates, equipamentos eletrônicos, doces do Willy Wonka, videogames, Lego, Barbies… Tudo é organizado por temas. Os displays de brinquedos são muito divertidos. Tem esculturas gigantes de Lego, brinquedos temáticos de filmes, lanchonete, confeitaria, coisas para todos os gostos e todas as idades. Não há quem não volte a ser criança ali dentro. Mesmo que não esteja viajando com crianças, vale muito a pena conhecer essa loja!

Ainda na Times Square, lojas como a do chocolate Hershey’s, M&M’s World e Disney Store, prometem te manter ocupada com as crianças durante boas horas. Aproveite que está nos Estados Unidos para provar um sabor de M&M’s que não tem aqui no Brasil: o de manteiga de amendoim, meu preferido! Em qualquer supermercado você acha, mas na Times Square você encontra uma variedade incrível de M&M’s com todas as apresentações que puder imaginar. Dá para comprar tudo de uma cor só, escolher cores exclusivas que não vêm nos saquinhos, fazer M&Ms personalizados com o seu nome ou o que mais sua criatividade permitir.

Bela tirando uma soneca na Times Square
Times Square

Seguindo em direção a Upper East Side, a Dylan’s Candy Bar é uma loja linda, com andares cobertos de doces e guloseimas. O terror dos diabéticos. É tentação que não acaba mais. Frequentada por celebridades fashionistas como as gêmeas Olsen, Suri Cruise e Madonna, a loja foi criada por Dylan Lauren, filha do estilista Ralph Lauren. Ela fala que se inspirou no filme “A Fantástica Fábrica de Chocolate”. Não deu tempo para ir até lá com a Bela e, como ela só tinha um ano, ainda não podia se afogar naquele mar de açúcar, mas acreditamos que seja um passeio para criança com sucesso garantido.

Dica: se já estiver por perto da Dylan’s Candy Bar, não perca a oportunidade de comprar ainda mais doce (que perdição!) e estique até a Magnólia Bakery da Bloomingdale’s (loja onde a Rachel, de Friends, trabalhava) para provar os cupcakes que ficaram famosos por causa da série Sex and the City. O banana pudding deles é uma delícia, até melhor que os cupcakes! Vale destacar que a Magnolia que aparece no seriado (tem várias espalhadas pela cidade) é a que fica na Greenwich Village (401 Bleecker Street), mas falam que essa é sempre cheia de filas. Eu comprei os meus cupcakes na Magnolia do Rockefeller Center, sem filas (o Red Velvet é top). Essa fica bem pertinho da loja Nintendo World, que meu marido queria visitar de qualquer jeito e também fica na Rockefeller Plaza, então estava mais na mão pra gente.

Magnolia Bakery
Red velvet da Magnolia

Para fãs de videogame, a Nintendo World é uma visita legal. Dá para aproveitar a ida ao Top of the Rock para ir lá, já que a loja fica na Rockefeller Plaza. Confesso que imaginava uma coisa maior, mais espetacular, mas foi legal conhecer. Além de ter um display com os Nintendos antigos (uma espécie de mini-museu), eles vendem vários brinquedos, jogos e lembranças associadas aos personagens dos jogos principais da marca. Pelúcias, pijamas, camisetas, canecas, entre outros trecos do Super Mario e Pokemon, lembrancinhas originais para amantes de videogame, como uma caixinha igual à que o Mario quebra com cabeçadas, cheia de moedinhas douradas de chocolate. Igualzinho ao jogo. Uma fofura! Outro bem legal é o casquinho de tartaruga de pelúcia que quando você joga em alguém, faz o mesmo barulhinho que no jogo.

Nintendo World

Pertinho da Nintendo World, há uma Lego Store bem grande, onde é possível comprar os kits por tema ou peças avulsas, além de apreciar as esculturas gigantes feitas com Lego.

A FAO Schwarz é a loja de brinquedos mais antiga dos Estados Unidos. Fundada em 1862, é famosa por seus brinquedos em tamanho real (animais, bonecos, jogos). A cena inesquecível do Tom Hanks tocando com os pés um piano gigante no filme “Quero ser grande” foi gravada lá.  Um verdadeiro clássico do final dos anos 80!

Para famílias com meninas, a American Girl Place New York é um passeio bem diferente. O paraíso das bonecas. Lá, as meninas podem personalizar uma boneca com suas características físicas, escolher cabelo, roupinhas, comprar roupas iguais às das suas bonecas, fazer programas bem femininos como ir ao salão de beleza, tomar chá com as bonecas e as amigas… Como a Bela ainda era muito pequena e não entenderia muito o que estava rolando por ali, decidimos deixar a ida à American Girl para uma próxima oportunidade.

Estou adorando relembrar a nossa viagem e dividir um pouco do que vivemos lá com vocês. No próximo post, continuaremos falando sobre Nova York.

Deixe um comentário